Ciência é INVESTIMENTO! Vamos transformar o Brasil em uma Nação rica e forte!

UMA PÍLULA PARA PERDER GORDURA? Pesquisadores transformam gordura branca em gordura marrom

UMA PÍLULA PARA PERDER GORDURA? Pesquisadores transformam gordura branca em gordura marrom

Edição Vol. 2, N. 09, 17 de Março de 2015

DOI: http://dx.doi.org/10.15729/nanocellnews.2015.03.16.002

Os pesquisadores da Harvard Stem Cell Institute (HSCI) tomaram o que eles descrevem como “o primeiro passo em direção a uma pílula que pode substituir a esteira” para o controle da obesidade, embora essa mudança, é claro, não iria fornecer todos os diversos benefícios do exercício.

Imaginem, sem fazer exercício algum, sem fazer lipoaspiração, sentado em frente à telona de cinema tomando um delicioso milk-shake de doce de leite _ hummm que delícia! _ e não engordar nenhum pouquinho! Ah, muito mais do isso, perder alguns quilinhos enquanto vê seu filme favorito! Sonho? Bom, nem tanto… Há algumas edições atrás publicamos um artigo que dizia exatamente isso (1) (veja mais em http://www.nanocell.org.br/novas-possibilidades-para-se-perder-peso/). “Pesquisadores da Universidade de Bonn investigaram a possibilidade de a adenosina, um derivado do ATP, transformar células de gordura branca em células de gordura marrom _ um processo chamado de “escurecimento” ou browning. As células de gordura branca normalmente não podem ser induzidas a queimar o excesso de gordura pela adenosina, simplesmente porque elas não têm o receptor A2A. Por esta razão, o grupo de cientistas transferiu o gene do receptor A2A de células da gordura marrom para células adiposas brancas em camundongos. Consequentemente, as células de gordura branca também têm receptores A2A e começaram a queimar a gordura produzindo energia (2).”

Neste novo artigo, o grupo de pesquisa do professor Dr. Chad Cowan da Universidade de Harvard e Massachusetts General Hospital (MGH), uma afiliada da Harvard, nos EUA, dizem ter criado um sistema que utiliza células-tronco humanas para triagem de compostos que têm o potencial de se transformar de gordura branca, ou gordura ruim, em células de gordura marrom, ou células de gordura boa, e já identificaram dois compostos que podem conseguir isso em células humanas.

Gordura branca e gordura marron: O que são?

As células de gordura branca armazenam energia na forma de lipídeos, ou gordura, como são popularmente conhecidos, e desempenham um papel no desenvolvimento da obesidade, diabetes do tipo 2 e condições relacionadas, incluindo a doença cardíaca (3). Enquanto a gordura marrom foi demonstrada em camundongos em diminuir os níveis de triglicerídeos (gordura), reduzir a resistência à insulina associada com o diabetes do tipo 2 e queimar gordura branca (2) (Figura 1).

pilula-perder-gordura

Figura 1: À direita, células de gordura branca e marrom. As mitocôndrias é que dão cor marrom a esta gordura e que geram calor, queimando os estoques de triglicerídeos, ou seja, a gota de gordura muito grande que ocupa a maior parte do citoplasma da célula de gordura branca. À esquerda, um exemplo do tecido adiposo de humano, branco e marrom, respectivamente, à esquerda e direita.

Toda vez que comemos em excesso, seja carne, leite, massas, ou qualquer outro tipo de alimento, todo o excesso é guardado em nosso organismo na forma de gordura (lipídeos). E essa gordura fica exatamente nas células da gordura branca, os adipócitos brancos. Quando há um excesso de consumo de calorias e essas não o são queimadas, como por exemplo, fazendo exercícios físicos, as células-tronco adultas no corpo produzem mais células de gordura branca, aumentando a carga de gordura em uma pessoa. Por isso, mesmo depois de se fazer lipoaspiração, as pessoas engordam novamente…

A pesquisa

O caminho a partir destes resultados para um medicamento seguro e eficaz pode não ser fácil, e os resultados terão de ser repetidos por outros grupos de pesquisa, bem como refinado, antes que possam levar a um tratamento clínico.

No entanto, os dois compostos descobertos até agora têm como alvo a mesma molécula, e esta molécula desempenha um papel na resposta inflamatória. Então, se você administra-los por um longo tempo, as pessoas que fizessem uso deles poderiam tornar-se imune-comprometidos, o que argumenta contra a utilização destes compostos iniciais sem modificações (4). Um deles, no entanto, já está no mercado, como um tratamento aprovado pela agência reguladora de medicamentos e alimentos dos EUA, a Food and Drug Administration, para a artrite reumatoide.

O grupo do professor Cowan encontrou duas pequenas moléculas que convertem as células-tronco da gordura, chamadas de células-tronco mesenquimais (5), que normalmente produzem gordura branca, em células de gordura marrom. Estas células de gordura marrom passam a queimar o excesso de energia, ou gordura armazenada e, assim, reduzem o tamanho e o número de células de gordura branca (4).

O que realmente impressiona é que existem alguns compostos que têm este mesmo tipo de efeito quando são administrados em animais, mas quando se os remove, o efeito passa. Mas o que foi demonstrado é que, em células humanas, essa foi uma conversão estável, de células de gordura branca para células de gordura marrom.

Estamos constantemente repondo o nosso tecido adiposo, por isso, se você estivesse tomando uma medicação para converter as células, cada nova célula de gordura seria metabolicamente mais ativa e poderia ser convertida em célula de gordura marrom ao longo do tempo, reduzindo a probabilidade de desenvolvimento de diabetes tipo 2 ou quaisquer das outras condições relacionadas com um acúmulo de gordura, diz-se de engordar…

O caminho para se fazer pesquisa é longo e demorado. Devemos plantar uma ideia e essa ser trabalhada durante anos para se chegar a um resultado que seja aplicável à sociedade. Lógico, isso vem com o tempo e o retorno são melhorias diretas na saúde da população e o retorno financeiro do investimento inicial. E olhe que isso não é pouco. Muitas descobertas são possíveis com investimentos de até 1 milhão de reais. Parece muito, mas há a formação de pessoal especializado, doutores, e desenvolvimento de novas tecnologias. Essas novas tecnologias rendem em torno de 50 milhões de dólares por ano ao Estado, muito mais justificável que se desviar BILHÕES para os bolsos de políticos corruptos, como no caso do Ptrolão. Por isso, pense antes de votar dizendo que todos fariam a mesma coisa. Essa não pode ser uma desculpa para se eleger um corrupto!

Como o professor Cowan disse, “enquanto havia pesquisas na literatura de outros grupos de pesquisa que produziam células de gordura a partir de células-tronco, e não tínhamos como obter qualquer um desses protocolos para trabalhar, tivemos de passar os primeiros três ou quatro anos aperfeiçoando os protocolos para produzir células de gordura branca e marrom.”. E os resultados atuais poderão render, imaginem, alguns bilhões de dólares, tanto em economia ao Estado no cuidado da saúde, quanto na venda dos medicamentos… Simples assim!

Estes dois compostos foram encontrados a partir de uma pesquisa de uma biblioteca de cerca de 1.000 compostos. Se eles tivessem acesso à biblioteca de uma empresa farmacêutica típica, que contêm entre 1,5 a 2 milhões de compostos, poderiam encontrar vários outros, o que reduziria em muito o custo dos medicamentos e, é até possível, que sejam encontrados em plantas. O professor Cowan está, atualmente, conversando com várias empresas farmacêuticas a cerca de dar continuidade ao trabalho.

Nosso grupo também está desenvolvendo, atualmente, três kits de diagnóstico relacionados à doenças hipertensivas como Pré-Eclâmpsia, Acidente Vascular Encefálico ou Vascular e Hipertensão resistente e outro para a identificação de cânceres.

Este é o tipo de coisa que se espera na formação de cientistas. Pode-se levar uma década para se chegar a um medicamento ou kits. A boa/má notícia é que a ciência é muito lenta. Apenas para o estabelecimento de uma prova de conceito leva-se uma enorme quantidade de tempo. Sabemos que o trabalho com células-tronco pode levar à descoberta de novas drogas e terapias, e agora está realmente começando a acontecer. Uma década de trabalho duro com ciência básica vale a pena.

Referências

1. Resende RR. NOVAS POSSIBILIDADES PARA SE PERDER PESO. Nanocell News. 2014 10/30/2014;2(2). Epub 10/30/2014.

2. Gnad T, Scheibler S, von Kugelgen I, Scheele C, Kilic A, Glode A, et al. Adenosine activates brown adipose tissue and recruits beige adipocytes via A receptors. Nature. 2014 Oct 15. PubMed PMID: 25317558. Epub 2014/10/16. Eng.

3. Lacerda LHG, Resende RR. O QUE É HIPERTENSÃO? (2º Capítulo). Nanocell News. 2014 09/01/2014;1(2). Epub 09/01/2014.

4. Moisan A, Lee YK, Zhang JD, Hudak CS, Meyer CA, Prummer M, et al. White-to-brown metabolic conversion of human adipocytes by JAK inhibition. Nat Cell Biol. 2015 Jan;17(1):57-67. PubMed PMID: 25487280. Pubmed Central PMCID: 4276482. Epub 2014/12/10. eng.

5. Parreira RC, Resende RR. CÉLULAS-TRONCO MESENQUIMAIS, O QUE SÃO E DE ONDE VÊM? Nanocell News. 2013 10/30/2013;1(2). Epub 10/30/2013.

Print Friendly

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>