Ciência é INVESTIMENTO! Vamos transformar o Brasil em uma Nação rica e forte!

UM IMPORTANTE REFORÇO NO TRATAMENTO AOS DIABÉTICOS: a nova insulina inalável aprovada pela FDA

UM IMPORTANTE REFORÇO NO TRATAMENTO AOS DIABÉTICOS: a nova insulina inalável aprovada pela FDA

Fernanda Maria Policarpo Tonelli, Rodrigo Ribeiro Resende

Vol. 1, N. 15, 05 de Agosto de 2014
DOI: http://dx.doi.org/10.15729/nanocellnews.2014.08.05.009

No mês de Junho uma notícia relacionada ao tratamento dos diabéticos tipo 1 e 2 ganhou destaque na mídia: a aprovação pela FDA (agência norte americana que regula remédios e alimentos) da insulina inalável de ação ultra rápida AFREZZA® (da MannKind Corporation). O produto é composto de um pequeno inalador e de cápsulas contendo a insulina em pó (Figura 1).

diabetes_tratamento

Figura 1: AFREZZA® (Adaptada de http://lockerdome.com/6724410346452289/67479 69282260756).

Diabetes mellitus

No mundo, estima-se que haja cerca de 382 milhões de diabéticos. Os diabéticos tipo I tem seu nível de glicose elevado no sangue devido a incapacidade do seu pâncreas de produzir insulina suficiente para a manutenção deste nível normal, em jejum, a glicemia deve ser menor que 100mg/dL. Os diabéticos tipo II tem este nível elevado devido à resistência à insulina que produzem (1), ou seja, mesmo produzindo a insulina em quantidades normais, suas células não respondem à insulina, por isso o termo resistentes à insulina.

Em edições anteriores do Nanocell esta doença já foi abordada: do ponto de vista de busca por novas maneiras de se acompanhar a evolução do quadro do paciente e até mesmo determinar-se um possível risco futuro de desenvolver-se a doença (2) (http://nanocell.org.br/novos-biomarcadores-da-pre-diabetes-tipo-2-atraves-de-estudos-metabolomicos/), e também acerca da proposição de novas maneiras de sintetizar-se a insulina para a terapia (3) (http://nanocell.org.br/producao-de-pro-insulina-em-alface-e-tabaco-para-tratamento-de-diabetes/).

No entanto, também receberam atenção proposições de novas estratégias terapêuticas: o uso de nanopartículas para a entrega de uma nanonetwork constituída de insulina e das enzimas glicose oxidase e catalase (4) (http://nanocell.org.br/nanoparticulas-e-um-nova-estrategia-de-tratamento-para-diabetes-mellitus-tipo-1/). No presente texto aborda-se uma estratégia diferente: não apenas uma insulina inalável, mas uma insulina de ação ultra-rápida (para que se atinja os níveis máximos necessários no organismo humano em cerca de 12 a 15 minutos após administração) (5) e com baixas taxas de efeitos colaterais (6).

Insulina inalável

A AFREZZA® não é a primeira insulina inalável produzida e aprovada pela FDA. Entre os anos de 2006 e 2007 a farmacêutica Pfizer manteve no mercado a Exubera® (7). No entanto esta não obteve os resultados esperados pela empresa, pois além de o aparelho ser muito grande, um número considerável de pacientes apresentou problemas respiratórios devido à retenção do produto nos brônquios (8).

A nova insulina da MannKind Corporation, no entanto, possui partículas menores que a anteriormente comercializada (evitando retenção nos brônquios) (8), e foi bem tolerada mostrando-se segura nos testes clínicos. Os relatos dos pacientes indicaram como efeitos colaterais apenas: tosse (25%), irritação da garganta (5,5%) e dor de cabeça (4,7%) (6).

O diabético se verá enfim livre das agulhadas?

A nova insulina inalável, por ser de rápida ação, deve ser administrada antes das refeições. Isto porque é após se alimentar que mais se necessita da insulina para a redução dos níveis de glicose (oriunda dos alimentos) no sangue. Logo, o novo produto poderia substituir as injeções de insulina com este fim, como as de Humalog®, Apidra® ou Novorapid® (aplicadas em média de 3 a 5 vezes ao dia).

No entanto, as agulhadas ainda serão necessárias para aplicar-se uma insulina para manutenção de níveis de glicemia basais durante o restante do dia (aplicadas em média 2 vezes ao dia), e para a aferição da glicemia (http://nanocell.org.br/o-que-o-quiabo-e-todas-as-frutas-e-verduras-podem-fazer-para-reduzir-o-diabetes-mas-nao-cura-lo/).

O que ocorre é uma melhoria de qualidade de vida do paciente, com redução do número de injeções necessárias, e uma melhor adesão ao tratamento, não conseguida com a auto-administração da forma injetável (9).

Porém, pacientes com doenças pulmonares crônicas, fumantes, ou menores de 18 anos, não devem usar o medicamento (6).

Para saber mais sobre os tipos de diabetes, sua prevenção e tratamento veja http://nanocell.org.br/o-que-o-quiabo-e-todas-as-frutas-e-verduras-podem-fazer-para-reduzir-o-diabetes-mas-nao-cura-lo/.

Perspectivas futuras

Espera-se que nos Estados Unidos se possa comprar o novo produto em 2015, e no Brasil em 2016 (8).

Apesar de uma rápida valorização nas ações da MannKind Corporation causada pelo anúncio pela FDA de aprovação da AFREZZA®, o medicamento ainda se encontrará em fase de farmacovigilância quando começar a ser comercializado.

A fabricante vai se dedicar agora a estudos em crianças para uma possível futura utilização do produto em menores de 18 anos.

No entanto, é válido lembrar que o paciente, para obter ainda maior melhoria em sua qualidade de via deve, além de fazer uso do medicamento, observar sua dieta e praticar exercícios físicos de acordo com a recomendação médica.

Referências:

       
  1. IDF. International Diabetes Federation http://www.idf.org/2013 [13/07/2014].7

  2.    

  3. Goulart, V.A.M., Resende, R.R.NOVOS BIOMARCADORES DA PRÉ-DIABETES TIPO 2 ATRAVÉS DE ESTUDOS METABOLÔMICOS. NanoCell News, 1(6). Disponível através do link <http://nanocell.org.br/novos-biomarcadores-da-pre-diabetes-tipo-2-atraves-de-estudos-metabolomicos/>.

  4.    

  5. Sousa, B.R., Resende, R.R. PRODUÇÃO DE PRÓ-INSULINA EM ALFACE E TABACO PARA TRATAMENTO DE DIABETES. NanoCell News, 1(4). Disponível através do link <http://nanocell.org.br/producao-de-pro-insulina-em-alface-e-tabaco-para-tratamento-de-diabetes/>.

  6.    

  7. Tonelli, F.M.P., Resende, R.R. NANOPARTÍCULAS E UM NOVA ESTRATÉGIA DE TRATAMENTO PARA DIABETES MELLITUS TIPO 1. NanoCell News, 1(6). Disponível através do link <http://nanocell.org.br/nanoparticulas-e-um-nova-estrategia-de-tratamento-para-diabetes-mellitus-tipo-1/>.

  8.    

  9. AFREZZA® – A First-in-class Ultra Rapid-Acting Insulin. Disponível através do link <http://www.mannkindcorp.com/product-pipeline-diabetes-afrezza.htm>.

  10.    

  11. FDA APROVA AFREZZA – NOVA INSULINA INALÁVEL. Disponível através do link <http://www.diabetes.org.br/destaques/736-fda-aprova-afrezza-nova-insulina-inalavel>.

  12.    

  13. MannKind Corporation Gains FDA Approval for Inhaled Insulin. Disponível através do link <http://guardianlv.com/2014/06/mannkind-corporation-gains-fda-approval-for-inhaled-insulin/>.

  14.    

  15. Insulina inalável pode ser nova opção para controle do diabetes. Disponível através do link <http://zh.clicrbs.com.br/rs/vida-e-estilo/vida/noticia/2014/07/insulina-inalavel-pode-ser-nova-opcao-para-controle-do-diabetes-4545549.html>.

  16.    

  17. Bratlie KM, York RL, Invernale MA, Langer R, Anderson DG. Materials for Diabetes Therapeutics. Adv Healthcare Mater. 2012;1:267–84.

Print Friendly

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>