web analytics

TESTE DE URINA PODE DIAGNOSTICAR TUBERCULOSE COM PRECISÃO E EM MENOS DE 12 HORAS!

Daniel Mendes Filho, Patrícia de Carvalho Ribeiro, Rodrigo R Resende, Ricardo Cambraia Parreira

Edição Vol. 5, N. 10, 10 de Abril de 2018

DOI: http://dx.doi.org/10.15729/nanocellnews.2018.04.10.003

Atchin!!! Atchin!!! Atchinnnn!!! Somente com esses espirros é possível disseminar a tuberculose para mais de 50 pessoas em uma sala de aula. Destas, é possível que 17% venham a morrer, se não diagnosticadas e tratadas! Mas, a ciência salva e muda nossa história! Veja como…

A tuberculose pulmonar é uma doença causada pela bactéria Mycobacterium tuberculosis e transmissível de pessoa para pessoa por meio de tosse, espirro ou gotículas de saliva (e tem gente que acha frescura lavar as mãos depois de tossir ou espirrar, o que minimizaria a disseminação desses micro-organismos). 

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a tuberculose afeta mais de 10 milhões de pessoas mundo afora levando a óbito 1,7 milhões delas, em média, fazendo da tuberculose uma das 10 principais causas de morte no mundo. Para piorar o quadro, têm-se observado aumento na incidência de casos de tuberculose resistente a drogas (MDR-TB, “Mutidrug-resistant tuberculosis”). Sendo assim, para garantir maiores chances de cura da tuberculose é essencial diagnosticar a doença com rapidez e precisão.

Em geral, o diagnóstico laboratorial da tuberculose baseia-se na cultura bacteriana, na qual amostras de escarro são semeadas num gel nutritivo e, após dias dentro de uma estufa, amostras do meio de cultura são colhidas e analisadas no microscópio, onde se pode detectar a presença da bactéria M. tuberculosis. Além da cultura bacteriana, testes cutâneos para tuberculose e o teste sanguíneo para detecção de interferon gama são outras ferramentas laboratoriais de diagnóstico. No entanto, o teste cutâneo demora de 2 a 3 dias para se obter o resultado e a detecção de interferon não é capaz de distinguir entre a forma latente e a ativa da doença. 

Um exame laboratorial com amostras de urina desenvolvido pelas cientistas Luisa Paris, Alessandra Luchini e colegas, promete agilizar o processo diagnóstico e, com isso, aumentar a eficiência do tratamento para tuberculose. O teste se baseia na detecção da molécula lipoarabinomanose (LAM), constituinte da parede celular das bactérias M. tuberculosis, na urina de pacientes com tuberculose pulmonar (Figura 1). 

teste-urina-1

 

Figura 1: Por meio da detecção em amostras de urina de lipoarabinomanose (LAM), uma molécula presente na parede celular de bactérias Mycobacterium tuberculosis, espécie causadora da tuberculose, pesquisadores demonstraram ser possível detectar tuberculose pulmonar em menos de 12 horas e com 95% de sensibilidade (Fonte: figura adaptada de https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/2/2b/Muestras_de_orina.jpg e PARIS et al, 2017).

Para detectar a LAM, os pesquisadores usaram “nanogaiolas” de hidrogel contendo uma “isca” para LAM chamada RB221 (molécula que possui afinidade pelas moléculas de LAM). Após capturar as moléculas de LAM, as “nanogaiolas” de hidrogel foram isoladas por meio de um marcador magnético e um ímã e, em seguida, detectadas por imunoensaio – um teste bioquímico que detecta ou quantifica a presença de uma determinada molécula em uma solução (Figura 2). 

teste-urina-2 

Figura 2: Esquema dos mecanismos bioquímicos e físicos do teste de urina para diagnóstico de tuberculose (fonte: figura adaptada de PARIS et al, 2017).

O teste mostrou-se eficiente e preciso (o resultado saiu em menos de 12 horas e com mais de 95% de sensibilidade!). Assim que as limitações do teste forem contornadas (como, por exemplo, confirmar que não há reação cruzada com moléculas de outras espécies de bactérias patogênicas), o teste de urina para detectar tuberculose será uma ferramenta preciosa para o diagnóstico e tratamento precoce da doença. Desse modo, haverá redução da mortalidade e, portanto, do impacto socioeconômico mundial da tuberculose pulmonar.

Ciência transformando e salvando vidas! Invista você também em ciências!

Referências

Tuberculosis. Disponível em: <http://www.who.int/mediacentre/factsheets/fs104/en/>. Acesso em: 01/03/2018.

10facts on tuberculosis. Disponível em:<http://www.who.int/features/factfiles/tuberculosis/en/>. Acesso em: 01/03/2018.

Urine Test for TB Yields Results in 12 Hours. Disponível em: < https://www.the-scientist.com/?articles.view/articleNo/51173/title/Urine-Test-for-TB-Yields-Results-in-12-Hours/>. Acesso em: 22/12/2017.

PARIS, L.  et al. Urine lipoarabinomannan glycan in HIV-negative patients with pulmonary tuberculosis correlates with disease severity. Sci Transl Med, v. 9, n. 420, Dec 13 2017. ISSN 1946-6242 (Electronic) 1946-6234 (Linking). Disponível em: < http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/29237757 >. 

admin_cms

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*

Anuncie
Seja um parceiro do Nanocell News. Saiba como aqui.

Inscrição Newsletter

Deseja receber notícias de divulgação científica em seu e-mail?

Aqui você irá encontrar as últimas novidades da ciência com linguagem para o público leigo. É a divulgação científica para os brasileiros! O cadastro é gratuito!

Alô, Escolas!

Alô, Escolas! é um espaço destinado ao diálogo com as escolas, públicas e privadas, seus professores e alunos de todas as áreas (humanas, exatas ou ciências) do ensino médio e superior. A seção Desperte o cientista em você traz notícias, dicas de atividades e experimentos para uso em sala. Aqui você encontra também informações sobre a coleção de livros publicados pelo NANOCELL NEWS sobre ciências e saúde, e sobre o Programa Instituto Nanocell de Apoio à Educação.

Edições Anteriores

Curta a nossa página

css.php