Ciência é INVESTIMENTO! Vamos transformar o Brasil em uma Nação rica e forte!

SEM FOCO

SEM FOCO

Flávio Carvalho

Edição Vol. 2, N. 09, 17 de Março de 2015

DOI: http://dx.doi.org/10.15729/nanocellnews.2015.03.16.007

– É tão difícil para mim quanto para você, Júlia, mas nós temos que cortar custos. Você sabe que o cenário não nos parece bom daqui pra frente… A inflação pode aumentar muito, o governo tem aumentado a nossa tributação, o dólar tem subido e isso afeta todo o nosso processo de… Júlia? Você está prestando alguma atenção?

– Estou, ué!

– Ah, Júlia… Você quer saber? Eu estou falando tudo isso para tentar aliviar a situação, mas nem nessa hora você é atenta! Olha, você está sendo demitida é por isso, ok? Porque você é incapaz de alguma atenção! Você não tem foco, está me ouvindo bem? Você é incapaz de olhar para frente! E eu preciso de alguém aqui que tenha concentração, Júlia! Concentração! E você não é essa pessoa. Foco, Júlia! Você não tem foco!

Que absurdo… Sem foco? De onde ele tirou isso? Melhor eu ir embora logo, outro dia a Marta junta as minhas coisas, ela deve arrumar tudo bem direitinho e com certeza não vai deixar de guardar a foto do Bob… Ai, que saudade do Bob, pelo menos eu vou poder ficar com ele o dia inteiro agora! Vou levar ele para passear, brincar com as bolinhas de tênis que a Joana me deu e ficar abraçada com ele vendo novela no meio da tarde! Isso enquanto durar o dinheiro do seguro, né? Porque daqui a pouco eu já vou ter que arrumar outro trabalho, mas pelo menos por uma semana eu acho que dá pra descansar, isso se essa mudança de lei do seguro não atrapalhar tudo ­– melhor ver isso com o Marquinhos, ele sabe tudo dessas coisas! Aliás ele sabe tudo de tudo! Ainda bem que ele está comigo, mas ele também vai ficar morrendo de raiva de eu não ter mais emprego, tadinho, vai ter que cuidar das contas, da comida, da ração do Bob… Sem choro, Júlia, sem choro!

Sem foco? Que sacanagem! Ele poderia ter falado logo que não gosta de mim, que tem que dar o meu lugar pro Breno do RH, qualquer coisa, mas não precisava acabar tanto comigo assim, crueldade demais! E esse ponto de ônibus cheio desse jeito, eu vou é caminhando mesmo, bom que dá pra esfriar a cabeça antes de ter que contar tudo para o Marquinhos, coitado. Tanta gente esperando o ônibus e tanto carro na rua, essa cidade não tem jeito mesmo, ainda mais com esse governo doido daqui, não é possível que eles não entendam que sem metrô a cidade não tem como funcionar, tem que ficar todo mundo ali, amontoado no ponto, até aquele senhor, tadinho, não é possível que ele tenha que passar por isso, né… Nossa, deve ser difícil mesmo chegar a uma idade dessas sem dinheiro pra poder descansar em casa, por isso que a gente tem que ser mais previdente, né? Guardar um pouco mais, não sair jogando dinheiro fora, mas como que eu vou fazer isso se nem emprego eu tenho agora e já estou com quase trinta? Tadinho do Marquinhos e… Ai, meu Deus! Sorvete de chocolate! Tudo que eu preciso agora!

Nada como chocolate para melhorar um dia ruim! E pensar que tem gente que fala que o chocolate vai acabar, nossa, é melhor eu ir guardando alguns, vai que termina mesmo, igual essa coisa de que não vai ter mais telas sensíveis ao toque, será mesmo? Agora que eu acostumei a mexer com tudo apertando direto na tela, não é possível que a gente vá andar para trás agora… se bem que é melhor pra mim, né, já que ele falou que eu não sei olhar para frente… Nossa, que sapato lindo! Vai ficar ótimo com o vestido que Raíssa me deu de aniversário… ai, aquele dia foi tão bom, foi o dia que o Marquinhos pediu para namorar comigo! Ele estava tão gatinho no dia, aliás, de onde vem essa coisa de chamar alguém bonito de gatinho? Pelo menos já é melhor que pão, igual à tia Míriam falava dos meninos da escola dela…

Não sei olhar para frente… Claro que eu sei, todo mundo sabe, ora! Mas eu não sou bitolada, eu tenho que poder olhar para os lados, para trás, para onde eu quiser, senão eu fico igual àqueles cavalos com viseira do lado da cabeça, sem poder ver nada em volta, só olhando para frente e puxando carroça! E viver assim é triste demais, né, puxando a carroça o dia inteiro e sem poder nem escolher outra direção, outro rumo para poder ir ou pelo menos para poder olhar um pouquinho e imaginar alguma coisa diferente, sei lá… Se eu olho só para frente eu não consigo nem aproveitar onde eu estou agora, aí eu perco o sorvete de chocolate, a brincadeira com o Bob, as conversas com o Marquinhos ou aquele pai ali na esquina ensinando o filho a atravessar a rua… Que coisa mais fofa, aposto que o Marquinhos vai ser assim também, ele leva o maior jeito com criança dos outros, imagina quando a gente puder ter a nossa! Ai, que vontade de chegar logo!

Sem foco? É, talvez… Mas será que isso é tão ruim assim?

Print Friendly
  • SEM FOCO
  • 3
  1. Ariana disse:

    Penso que em algumas situações, as distrações podem até contribuir para reforçar o foco.

    16/março/2015 ás 22:31
  2. É. Pode ser que agora ela só mudou o foco.

    23/março/2015 ás 23:49
  3. eliana mara disse:

    É, uma mudança consciente de foco.
    Ela criou foco no que se deseja alcançar.

    30/março/2015 ás 15:33

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>