Ciência é INVESTIMENTO! Vamos transformar o Brasil em uma Nação rica e forte!

ReEBOV: Teste Rápido Para Diagnóstico De Ebola

ReEBOV: Teste Rápido Para Diagnóstico De Ebola

Fernanda Maria Policarpo Tonelli, Flávia Cristina Policarpo Tonelli, Rodrigo R Resende

Edição Vol. 2, N. 14, 06 de Julho de 2015

DOI: http://dx.doi.org/10.15729/nanocellnews.2015.07.06.005

Viveremos sempre a mercê dos ataques dos vírus? Como podemos evita-los? Como detecta-los e aniquila-los antes que eles o façam conosco? Um teste simples e rápido pode ser a solução não somente para o Ebola, mas uma abordagem que se aplica também a vários outros vírus.

Em 2014 o vírus Ebola provocou sua mais severa epidemia que aterrorizou o mundo (1). Como já abordado previamente no Nanocell News (2) (veja mais em http://www.nanocell.org.br/zmapp-a-esperanca-mundial-contra-o-virus-ebola/), o infectado começa a apresentar sintomas de duas a três semanas após a infecção; sintomas estes que incluem: febre, vômito, diarréia, além de complicações hemorrágicas (3).

Logo, é necessário que pesquisas continuem a ser realizadas para que se entenda melhor esta doença (como já mencionado neste jornal eletrônico (4), veja mais em http://www.nanocell.org.br/vias-de-sinalizacao-celular-podem-ajudar-a-entender-melhor-o-ebola/), que novas estratégias terapêuticas sejam elaboradas (2), e que novas maneiras de se diagnosticar o Ebola sejam desenvolvidas – para o caso de uma nova epidemia colocar novamente o mundo em estado de alerta.

Assim sendo, um grupo de cientistas propôs recentemente um teste rápido para detectar o vírus; um teste que pode ser realizado de forma mais rápida e barata que o atualmente utilizado, e ainda com excelente capacidade de fazer um diagnóstico preciso (5).

INOVAÇÃO EM DIAGNÓSTICO EM FOCO

Atualmente o diagnóstico de Ebola é feito com sangue obtido do braço dos pacientes, requerendo portanto que seja coletado por pessoal qualificado. É baseado em PCR (Reação em cadeia da polimerase): técnica que necessita de ser realizada em laboratório contendo equipamento apropriado, e que requer tempo (horas) para amplificar alvos de interesse para concentrações em que possam ser detectados. O custo estimado pela Organização Mundial de saúde é de U$S 100,00 (100 dólares) cada exame (6).

O novo teste (Figura 1), elaborado e já testado, é feito com gota de sangue do dedo dos pacientes, e após aguardar 15 minutos se obtém o resultado. O custo estimado é de U$S 15,00 (15 dólares). Este novo teste foi capaz de detectar o Ebola vírus em todos os pacientes infectados, e numa amostra de 284 pacientes apresentou especificidade elevada (92%) com baixa taxa de falsos positivos (6).

Este desempenho marcante surpreendeu até mesmo os inventores, que se mostraram felizes pelo potencial de contribuição que sua invenção pode vir a ter para a sociedade.

reebov

Figura 1: O novo teste diagnóstico ReEBOV Antigen Rapid Test.

COMO FUNCIONA O NOVO TESTE?

O sangue do paciente é colocado na extremidade de uma tira-teste para que o exame, dito imunocromatográfico, seja realizado.

Depois esta tira é mergulhada em uma solução-tampão, que mantém o pH da amostra constante e favorece que a amostra flua, subindo pela fita-teste.

A fita contém anticorpos capazes de se ligar com especificidade à proteína VP 40 do Ebola vírus. Estes anticorpos estão ligados a nanopartículas de ouro em região específica da fita (7). Se a ligação ocorre, ou seja, se a pessoa está infectada e contém o vírus e a proteína VP 40, portanto, a deposição do complexo contendo ouro gera linha rosa-avermelhada na fita-teste: interpretado como resultado positivo (Figura 2).

reebov-2

Figura 2: Esquema representativo do funcionamento da imunocromatografia para detecção do Ebola vírus.

O novo teste é produzido pela Corgenix e apesar de já ter sido submetido a testes de eficiência, vai continuar a ser testado. O procedimento visa garantir segurança àqueles que podem vir a necessitar do teste, em caso de futura epidemia.

Esta inovação oferece a possibilidade de redução de gastos públicos com o diagnosticar de epidemia de Ebola, além de favorecer diagnóstico precoce, pela rapidez de oferta de resultado.

Estratégias semelhantes a essas poderão vir a ser produzidas para a detecção de vírus da Dengue e outros tipos virais. Uma inovação que é barata e aplicável a várias possibilidades.

Referências

1. Outbreaks Chronology: Ebola Hemorrhagic Fever – Known Cases and Outbreaks of Ebola Hemorrhagic Fever, in Chronological Order. Disponível através do link <http://www.cdc.gov/vhf/ebola/resources/outbreak-table.html>.

2. Tonelli, F.M.P., Resende, R.R. ZMapp: a esperança mundial contra o vírus Ebola?. 2014. Nanocell News 1(16). Disponível através do link <http://www.nanocell.org.br/zmapp-a-esperanca-mundial-contra-o-virus-ebola/>.

3. Ebola virus disease. Disponível através do link <http://www.who.int/mediacentre/factsheets/fs103/en/>.

4. Bezerra, M.A., dos Santos, N.A. Vias de sinalização celular podem ajudar a entender melhor o Ebola. 2014. Nanocell News. Disponível através do link <http://www.nanocell.org.br/vias-de-sinalizacao-celular-podem-ajudar-a-entender-melhor-o-ebola/>.

5. Broadhurst, M.J., Kelly, J.D., Mille, A., Sempe, A., Baile, D., Gropp, E. li, Simps, A. , Brook, T., Hula, ., Nyoni, ., Sanko, A.B., Kanu, Jallo, A., Ton, Sarch, N. , Georg, P., Perki, M. D. , W, B. derly, M. Murray, and N. R. Pollock, The Lancet, 2015, 15, http://www.thelancet.com/journals/lancet/article/PIIS0140-6736(15)61042-X/abstract.

6. Williams, S.C.P. Fingerprick test quickly diagnoses Ebola. Science. Disponível através do link < http://news.sciencemag.org/health/2015/06/fingerprick-test-quickly-diagnoses-ebola?rss=1>.

7. ReEBOV™ Antigen Rapid Test Kit. Disponível através do link <http://www.who.int/diagnostics_laboratory/procurement/150219_reebov_antigen_rapid_test_public_report.pdf>

Print Friendly

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>