web analytics

Joice Teixeira de Almeida1, Lara Vento Moreira Lima2, Rubens Rezende Ferreira2, Fabrícia Ramos Rezende3

1 Fisioterapeuta pela Unigoyazes

2 Acadêmicos do curso de Medicina do Centro Universitário de Mineiros – Campus Trindade

3 Fisioterapeuta, mestre e doutora em Ciências da Saúde pela UFG e docente da UNIFIMES em Trindade-GO, Brasil

Edição Vol. 8, N. 9, 20 de Setembro de 2022

11 perguntas comuns sobre infiltração com ácido hialurônico - Traumatologia  e Ortopedia

Fonte: Traumatologia e ortopedia, 2021

A osteoartrite de joelho é uma disfunção resultante do desgaste articular e consequentemente, a presença de osteófitos que são os bicos de papagaio, que geram sinais e sintomas como a dor, edema, diminuição do movimento, creptações, fraqueza muscular e perda de função. Esta disfunção pode ser de etiologia primária onde não se sabe a causa e de origem secundária na qual pode estar atrelada a origem metabólica e traumas, condições endógenas (idade, gênero e genética) e exógenas (excesso de peso, déficit de vitamina C e D) (1).

Diversas formas de amenização dos sinais e sintomas são apresentadas, desde a aplicação e ingestão de medicamentos, até a terapia por exercícios. A aplicação de um medicamento chamado glicocorticoide promove o alívio dos sintomas e melhora da capacidade funcional, entretanto não há uma certeza da duração dos efeitos desta aplicação. A fisioterapia baseada em exercícios e em suprir os déficits apresentados também se mostrou eficaz em curto prazo (2).

Um estudo procurou comparar a eficácia da aplicação de um medicamento chamado glicocorticoide e fisioterapia baseada em exercícios como forma de tratamento para a dor e função física na osteoartrite de joelho em longo prazo (um ano). Os participantes do grupo aplicação receberam até 3 injeções de glicocorticoides durante um ano e o grupo fisioterapia foram submetidos a 8 sessões durante um período de 4 a 6 semanas. As sessões eram baseadas em educação do paciente, mobilizações articulares e exercícios. Os indivíduos foram avaliados através de questionários antes e após as intervenções (2).

Os resultados demonstraram que as duas modalidades de tratamento foram efetivas no quesito dor e função física em curto prazo, porém, a fisioterapia se mostrou mais eficaz em um período de um ano (2).

Referências

1 EMMERT, D. RASCHE T. STIEBER, C. CORAND, R. MUCKE, M. Knee pain – symptoms, diagnosis and therapy of osteoarthritis, 2018. Disponível em: < https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4039588/>. Acesso em: 09 de setembro de 2021.

2 GAIL, D. D. CHIS, S. A. STEPHEN, C. A. NORMAN, W. G. BEJAMIN, R. H. EVAN, J. P. DOUGLAS, D. DANIEL, I. R. Physical Therapy versus Glucocorticoid Injection for Osteoarthritis of the Knee, 2020. Disponível em:< https://www.nejm.org/doi/full/10.1056/NEJMoa1905877>. Acesso em: 09 de setembro de 2021.

admin_cms

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*

Anuncie
Seja um parceiro do Nanocell News. Saiba como aqui.

Inscrição Newsletter

Deseja receber notícias de divulgação científica em seu e-mail?

Aqui você irá encontrar as últimas novidades da ciência com linguagem para o público leigo. É a divulgação científica para os brasileiros! O cadastro é gratuito!

Alô, Escolas!

Alô, Escolas! é um espaço destinado ao diálogo com as escolas, públicas e privadas, seus professores e alunos de todas as áreas (humanas, exatas ou ciências) do ensino médio e superior. A seção Desperte o cientista em você traz notícias, dicas de atividades e experimentos para uso em sala. Aqui você encontra também informações sobre a coleção de livros publicados pelo NANOCELL NEWS sobre ciências e saúde, e sobre o Programa Instituto Nanocell de Apoio à Educação.

Edições Anteriores

Curta a nossa página

css.php