Ciência é INVESTIMENTO! Vamos transformar o Brasil em uma Nação rica e forte!

O QUE É HIPERTENSÃO? (3º Capítulo): Controlando o Colesterol!

O QUE É HIPERTENSÃO? (3º Capítulo): Controlando o Colesterol!

 

Leandro H G Lacerda, Rodrigo R Resende

                                           Edição Avulsa Vol. 1, N. 2, 10 de Setembro de 2014                                                              
DOI: http://dx.doi.org/10.15729/nanocellnews.2014.09.10.001

 

O que é o colesterol?

Para entender o que significa ter um colesterol alto, é importante sabermos o que é o colesterol. O colesterol é uma substância lipídica, semelhante à gordura, que é encontrada em todas as células do corpo.

Nosso corpo precisa do colesterol para produzir hormônios, vitamina D e algumas substâncias que ajudam a digerir os alimentos. Então, nem todo colesterol é ruim, mas é necessário para nos manter saudáveis. Claro, que em excesso, ele passa a ter outros papeis indesejáveis. Nosso corpo produz todo o colesterol de que necessita. No entanto, o colesterol também é encontrado em alguns dos alimentos que comemos.

O colesterol viaja através da corrente sanguínea em pequenos pacotes chamados de lipoproteínas. Estes pacotes são feitos de gordura (lipídeo) no lado interno e de proteínas, em seu lado externo (Figura 1).

Slide1

Figura 1: Estrutura dos diversos tipos de lipoproteínas presentes em nosso sangue.  As lipoproteínas são chamadas de muito baixa, intermediária, baixa e alta densidade dependendo da relação entre lipídeos e proteínas. Quanto menor esta relação, maior a quantidade de proteínas, e maior será a massa, menor o volume, consequentemente, maior a densidade da lipoproteína. Em ordem crescente de densidade estão os 1°- Quilomicrons, 2°- VLDL (lipoproteínas de densidade muito baixa), 3°- IDL (lipoproteínas de densidade intermediaria), 4° – LDL (lipoproteínas de densidade baixa) e 5°- HDL (lipoproteínas de densidade alta).

Dois tipos de lipoproteínas carregam o colesterol por todo nosso corpo, são elas: as lipoproteínas de baixa densidade (do inglês, low-density lipoproteins, LDL) e lipoproteínas de alta densidade (do inglês, high-density lipoproteins, HDL). Ter níveis saudáveis ​​de ambos os tipos de lipoproteínas é importante. Então, ambas são importantes para nos manter saudáveis!

A LDL também é comumente chamada de “colesterol ruim”. Um nível alto de LDL leva a um acúmulo de colesterol nas artérias (1) (As artérias são vasos sanguíneos que transportam o sangue do seu coração para o seu corpo. Veja mais em http://www.nanocell.org.br/dieta-rica-em-vegetais-reduz-os-niveis-de-colesterol-ruim-em-seres-humanos-com-micrornas/).

O colesterol HDL às vezes é chamado de “bom” colesterol. Isso é porque ele transporta o colesterol de outras partes do seu corpo de volta para o fígado. E o fígado remove o colesterol de nosso corpo.

 

O que significa ter colesterol alto?

Colesterol alto é uma condição em que você tem muito colesterol no sangue. Por si só, a condição geralmente não apresenta sinais ou sintomas. Assim, muitas pessoas não sabem que seus níveis de colesterol são demasiadamente elevados. E não importa se a pessoa é gorda ou magra. O colesterol alto pode estar presente em ambas as condições.

Pessoas que têm colesterol alto têm uma chance maior de ter uma doença cardíaca coronariana, também chamada de doença da artéria coronária, que pode ser obstruída, ou entupida, pelo colesterol e levar ao infarto cardíaco (2) (veja mais em http://www.nanocell.org.br/chocolate-escuro-e-bom-para-voce-e-para-seu-coracao/). Neste artigo, o termo “doenças do coração” refere-se a doença coronária.

Quanto maior o nível de colesterol LDL no sangue, maior é a sua chance de ter uma doença cardíaca. Quanto maior o nível de colesterol HDL no sangue, menor é a sua chance de contrair uma doença cardíaca. Bem o contrário do que estou neste momento, mas vamos ensinar como reduzir o colesterol LDL, ou “ruim”, e aumentar o HDL, ou o “bom”!

A doença arterial coronariana é uma condição na qual uma placa, chamada de ateroma ou placa ateroesclerótica, se acumula no interior das artérias coronárias, que estão no coração. A placa é composta por colesterol, gordura, cálcio e outras substâncias presentes no sangue. Quando a placa se acumula nas artérias, a condição é chamada de aterosclerose (Figura 2).

colesterol 2
 
Figura 2: A letra (A) mostra a localização do coração em nosso corpo. A (B) mostra uma artéria coronária normal com o fluxo de sangue normal. A imagem ampliada mostra uma secção transversal de uma artéria coronária normal. Em (C) mostra uma artéria coronária estreitada pelas placas de ateroma ou placas ateroescleróticas. O acúmulo de placa limita o fluxo de sangue rico em oxigênio através da artéria. A imagem ampliada mostra uma secção transversal da artéria estreitada pela placa.

Com o tempo, a placa endurece e estreita as artérias coronárias. Isso limita o fluxo de sangue rico em oxigênio para o coração. Isso pode levar a uma maior dificuldade em se fazer atividades físicas. Por falta de uma oxigenação adequada, a pessoa cansa-se facilmente.

Eventualmente, uma área da placa pode-se romper (quebrar). Isto faz com que um coágulo de sangue seja formado sobre a superfície da placa. Se o coágulo se torna grande o suficiente, ele pode bloquear a maior parte ou completamente o fluxo de sangue através de uma artéria coronária (2) (veja mais em http://www.nanocell.org.br/chocolate-escuro-e-bom-para-voce-e-para-seu-coracao/).

Se o fluxo de sangue rico em oxigênio para o músculo cardíaco é reduzido ou bloqueado, pode ocorrer uma condição chamada de angina, caracterizada por uma forte dor no peito, ou um ataque cardíaco, cuja dor inicia-se no braço esquerdo chegando ao tórax.

A angina é uma dor ou desconforto no peito. É sentida como uma pressão ou um aperto no peito. A dor também pode ocorrer em seus ombros, braços, pescoço, mandíbula ou costas. A dor pela angina pode até ser sentida como uma indigestão.

Um ataque cardíaco ou Infarto Agudo do Miocárdio (IAM) ocorre quando o fluxo de sangue rico em oxigênio, para uma parte qualquer do músculo cardíaco, é cortado ou interrompido. Se o fluxo sanguíneo não for restaurado rapidamente, essa parte do músculo cardíaco começa a morrer por falta de nutrientes e oxigênio. Sem tratamento rápido, um ataque do coração pode levar a problemas graves ou até mesmo à morte (2) (veja mais em http://www.nanocell.org.br/chocolate-escuro-e-bom-para-voce-e-para-seu-coracao/).

As placas também podem acumular-se em outras artérias em seu corpo, como as artérias que levam o sangue para o cérebro e para os membros. Isso pode levar a problemas como a doença da artéria carótida (que leva o sangue do coração para a cabeça), acidente vascular encefálico (AVE) e doença arterial periférica (DAP).

Abaixo apresentamos uma tabela com os níveis de colesterol sanguíneo ideais e que são perigosos para sua saúde.

 Tabela 1: Valores dos níveis de colesterol sanguíneo para adultos (mg/dL)
Slide1

Porque controlar o colesterol?

Temos o conhecimento hoje de que o maior vilão da boa saúde é a obesidade. Esta condição é fator de risco para diversas doenças cardiovasculares (AVE, IAM e Aterosclerose) e está diretamente associada à má alimentação e ao sedentarismo. O problema é que esta condição está aparecendo cada vez mais cedo, propiciando a ocorrência de doenças crônicas como hipertensão arterial e diabetes mellitus em indivíduos jovens (3) (veja mais em http://nanocell.org.br/o-que-papai-come-pode-fazer-com-que-seus-filhos-sejam-obesos-na-vida-adulta/). Dando continuidade à nossa exploração dos mistérios da hipertensão, retornaremos neste volume à série “O que é hipertensão?” (4) (veja mais emhttp://sbsc.org.br/abaixo-o-sedentarismo-mantenha-se-ativo/).

O custo do colesterol alto

Se o seu colesterol está igual ou acima de 200 mg/dL, então CUIDADO! Você precisa tomar uma atitude e rápido. Quanto mais alto são os níveis de colesterol (principalmente o LDL) no sangue, maiores são as chances de acúmulo desta substância no sistema vascular e, consequentemente, bloqueio das artérias, gerando uma série de problemas. Artérias e veias revestidas de placas gordurosas tornam-se menos flexível (mais rígidas), prejudicando o fluxo sanguíneo, ou seja, a distribuição de sangue no corpo torna-se menos eficiente. Artérias bloqueadas podem causar ataques cardíacos e podem elevar à pressão arterial (3) (veja também http://nanocell.org.br/o-que-e-hipertensao-1o-capitulo/), podendo ocasionar danos ou falha no coração. Então, reduzir seu colesterol ajuda o seu corpo a manter o fornecimento de sangue adequado, promovendo o bom funcionamento dos seus órgãos e de seu sistema circulatório, ou seja, dos vasos sanguíneos.

 

O que posso fazer para controlar o colesterol?

O fígado e suas células, os hepatócitos, produzem cerca de 75% do colesterol presente no sangue. Os outros 25% vem de sua alimentação. A Associação do Coração Americana (American Heart Association) recomenda o seguinte:

  • Você pode mudar seus hábitos alimentares, como por exemplo, comer alimentos saudáveis ​​com baixos níveis de colesterol, baixos níveis de gorduras trans e menos gorduras saturadas (gordura de origem animal). Uma dieta rica em fibras também ajuda a manter os níveis de colesterol controlado. O curioso é que 70 a 80% das causas de doenças cardiovasculares estão atribuídas a fatores de risco modificáveis como sedentarismo, má alimentação e tabagismo.
  • Vá ao laboratório e faça um exame para medir o seu colesterol total e suas frações (HDL, LDL, VLDL) e mantenha-se atualizado sobre a sua saúde fazendo check-ups ou exames rotineiros.
  • Seja ativo (4) (veja mais em http://sbsc.org.br/abaixo-o-sedentarismo-mantenha-se-ativo/). Quando você se exercita, você aumenta a capacidade do seu corpo em produzir o “bom colesterol” (o HDL). Uma das funções do HDL é remover uma quantidade de LDL (colesterol ruim) das artérias e vasos sanguíneos, levando eles para o fígado, onde é removido ou degradado, promovendo um benefício cardiovascular.

Manter um peso saudável.

Algumas pessoas são portadoras de doenças relacionadas ao distúrbio no metabolismo de lipoproteínas, como o colesterol. Estas pessoas herdam um gene que faz com que o seu organismo aumente a produção principalmente de LDL. Se o seu médico prescrever uma medicação para o controle de colesterol (como por exemplo, sinvastatina), é importante que você siga corretamente as orientações deste profissional quanto à administração correta deste medicamento, além de seguir as outras recomendações de modificação do estilo de vida, com o objetivo de adotar medidas que promovam uma vida mais saudável. A boa notícia é que você pode diminuir o seu colesterol e reduzir o risco de doença cardíaca e AVE.

 

Histórias de vidas que mudaram com a atividade física

Em junho de 2006, depois de semanas pensando que era dor por refluxo crônico e, em seguida, uma bateria de testes, Roy Simonefoi informado de que todas as suas cinco principais artérias estavam 85 a 95% bloqueadas.

“Então”, diz Roy, “pouco antes do meu 47º aniversário, eu fiz uma cirurgia de by-pass quádruplo. Desde junho de 2006, eu tive vários atendimentos de emergência, durante o qual eu estive à beira de um ataque cardíaco. E agora tenho 27 stents colocados em meus vasos sanguíneos para ajudar a mantê-los abertos e livres de obstrução.”

“Meu problema decorre de um defeito genético; meu HDL (colesterol bom) é muito baixo. Antes da minha cirurgia de bypass meu HDL estava em 14 mg/dL – extremamente baixo.” O ideal é que o HDL de um homem esteja entre 40 e 70 mg/dL, obtendo-se assim, colesterol bom o suficiente para manter o colesterol ruim (LDL) longe das artérias, evitando os bloqueios. “Mas, através da dieta, exercício e medicação, fui capaz de retardar a natureza agressiva da minha doença cardíaca. Hoje, o meu nível de colesterol total é excelente. Meu LDL (mau colesterol) é geralmente muito baixo, entre 50 e 60 mg/dL e os meus níveis de HDL estão ficando mais perto de onde eles precisam estar, 35 mg/dL, mais especificamente.”

“Minha batalha com a doença cardíaca é agora um objetivo de vida. Ela exigiu uma mudança no meu estilo de vida. Em que a educação e a disciplina são as chaves para o meu sucesso. Se eu já não tivesse passado a maior parte de minha vida exercitando-me, comendo uma dieta saudável e mantendo o meu peso seria muito certo de que eu não estaria vivo hoje.”

 

Referências

1.         Rocha LGN, Resende RR. DIETA RICA EM VEGETAIS REDUZ OS NÍVEIS DE “COLESTEROL RUIM” EM SERES HUMANOS COM microRNAs. Nanocell News. 2014 08/29/2014;1(1). Epub 08/29/2014.

2.         Resende RR. CHOCOLATE ESCURO É BOM PARA VOCÊ E PARA SEU ‘CORAÇÃO’. Nanocell News. 2014 03/10/2014;1(8). Epub 03/11/2014.

3. Lacerda LHG, Resende RR. O QUE É HIPERTENSÃO? (1º Capítulo). Nanocell News. 2014 07/24/2014;1(13):6. Epub 07/24/2014.

4. Lacerda LHG, Resende RR. O QUE É HIPERTENSÃO? (2º Capítulo). Nanocell News. 2014 01/09/2014;1(2):6. Epub 01/09/2014.

5. Resende RR. O QUE PAPAI COME PODE FAZER COM QUE SEUS FILHOS SEJAM OBESOS NA VIDA ADULTA. Nanocell News. 2014 07/14/2014;1(14):6.

Print Friendly

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>