Ciência é INVESTIMENTO! Vamos tornar o Brasil em uma Nação rica e forte!

NOVOS MEDICAMENTOS REVERTEM OS EFEITOS DA DOENÇA DE ALZHEIMER EM CAMUNDONGOS

NOVOS MEDICAMENTOS REVERTEM OS EFEITOS DA DOENÇA DE ALZHEIMER EM CAMUNDONGOS

Vol. 1, N. 16, 26 de Agosto de 2014
DOI: http://dx.doi.org/10.15729/nanocellnews.2014.08.26.002

“Certo dia, após levantar e fazer a higiene corporal, tomar o café da manhã e me aprontar para ir ao trabalho, uma rotina diária que tenho há muito tempo, percebi que, algumas horas depois, não me lembrava se havia tomado o café da manhã, ou mesmo, se havia escovado os dentes.” Parece cômico, mas é um prenúncio de que algo em nossa memória não vai muito bem e, dependendo da idade em que se esteja pode ser muito mais do que um breve esquecimento devido ao estresse do cotidiano.

Alzheimerdoença de Alzheimer (DA) ou simplesmente Alzheimer, é uma doença degenerativa atualmente incurável mas que possui tratamento (para saber mais sobre a doença de Alzheimer veja http://nanocell.org.br/possivel-cura-para-o-mal-de-alzheimer-a-caminho-nanotubos-%CE%B2-amiloide-e-seu-receptor-da-proteina-prionica/). O tratamento permite melhorar a saúde, retardar o declínio cognitivo, tratar os sintomas, controlar as alterações de comportamento e proporcionar conforto e qualidade de vida ao idoso e sua família. Foi descrita, pela primeira vez, em 1906, pelo psiquiatra alemão Alois Alzheimer, de quem herdou o nome. É a principal causa de demência em pessoas com mais de 60 anos no Brasil e em Portugal, sendo cerca de duas vezes mais comum que a demência vascular, sendo que em 15% dos casos ocorrem simultaneamente. Atinge 1% dos idosos entre 65 e 70 anos mas sua prevalência aumenta exponencialmente com os anos sendo de 6% aos 70, 30% aos 80 anos e mais de 60% depois dos 90 anos (1).

Um estudo recentemente publicado na PloS Biology, edição de agosto de 2014, revela um novo composto de fármaco que inibe os efeitos negativos de uma proteína chamada tirosina fosfatase enriquecida com STtriatal (do inglês, STtriatal-Enriched tyrosine Phosphatase, STEP) e inverte os déficits cerebrais da doença de Alzheimer em camundongos.

A pesquisa foi realizada pelo grupo do professor Dr. Paul Lombroso, da Yale School of Medicine, em New Haven, nos EUA, e relata a descoberta de um novo composto de droga que reverte os déficits cerebrais da doença de Alzheimer em um modelo animal.

O composto, CT-2153, inibe os efeitos negativos da proteína chamada STtriatal-Enriched tyrosine Phosphatase (STEP), que é fundamental para a regulação da aprendizagem e da memória. Essas funções cognitivas estão prejudicadas na doença de Alzheimer.

Lombroso e os co-autores estudaram milhares de moléculas pequenas, procurando aquelas que inibem a atividade da proteína STEP. Uma vez identificados, esses compostos que inibem a STEP foram testados em células do cérebro para examinar se elas poderiam parar os efeitos da STEP. Eles examinaram o composto mais promissor em um modelo da doença de Alzheimer em camundongos, e descobriram uma reversão dos déficits em vários exercícios cognitivos que aferem a capacidade dos animais em lembrar objetos vistos anteriormente.

Altos níveis de proteínas STEP inibem que as sinapses no cérebro sejam fortalecidas. As sinapses são o fenômeno de comunicação entre as células neuronais no cérebro (Figura 1). São elas que informam, de uma célula para outra, o que está acontecendo em nossa volta (como, por exemplo, a percepção dos sentidos, ouvir, ver, cheirar, tocar, degustar) e que trazem à tona nossas lembranças e memórias. O fortalecimento sináptico é um processo que é necessário às pessoas para tornarem as memórias de curto prazo em memórias de longo prazo. Aquela memória que a gente usa só momentaneamente (de curto prazo), como o número de um telefone que acaba de ser informado, e que passa a ser fixada (de longo prazo), quando este número de telefone é de alguma pessoa que nos interessa. Quando a proteína STEP está elevada no cérebro, ela esgota os receptores dos sítios sinápticos e inativa outras proteínas que são necessárias para a função cognitiva adequada (2). Esta perturbação pode resultar na doença de Alzheimer, ou em vários distúrbios neuropsiquiátricos e neurodegenerativos, todos marcados por déficits cognitivos.

novas-drogas-alzheimer

Figura 1: Sinapses entre células neuronais do cérebro. As sinapses, os pontos luminosos na figura, são a maneira como as células do cérebro comunicam-se uma com a outra. Elas levam as informações do ambiente em que vivemos, assim como as memórias das quais lembramos. Quando as sinapses são intensas as memórias tornam-se de longa duração, podendo se relembrar delas após muitos anos.

O prof. Lombroso diz que a pequena molécula inibidora é o resultado de um esforço colaborativo de cinco anos para procurar inibidores da STEP. “Uma única dose da droga resulta em melhora da função cognitiva em camundongos. Os animais tratados com o composto TC foram indistinguíveis de um grupo controle em várias tarefas cognitivas.”

A equipe está atualmente testando o composto TC em outros animais com déficits cognitivos, incluindo ratos e primatas não-humanos. Esses estudos irão determinar se o composto pode realmente melhorar déficits cognitivos em outros modelos animais (por isso a importância em se fazer primeiro testes em animais e depois passar aos seres humanos). Os resultados, se bem sucedidos, nos trará mais um passo para testar uma droga que melhora a cognição em seres humanos.

Referências

1. Bermejo-Pareja F, Benito-Leon J, Vega S, Medrano MJ, Roman GC. Incidence and subtypes of dementia in three elderly populations of central Spain. Journal of the neurological sciences. 2008 Jan 15;264(1-2):63-72. PubMed PMID: 17727890. Epub 2007/08/31. eng.

2. Xu J, Chatterjee M, Baguley TD, Brouillette J, Kurup P, Ghosh D, et al. Inhibitor of the Tyrosine Phosphatase STEP Reverses Cognitive Deficits in a Mouse Model of Alzheimer’s Disease. PLoS biology. 2014 Aug;12(8):e1001923. PubMed PMID: 25093460. Epub 2014/08/06. eng.

Print Friendly
  • NOVOS MEDICAMENTOS REVERTEM OS EFEITOS DA DOENÇA DE ALZHEIMER EM CAMUNDONGOS
  • 2
  1. marco a gaffo disse:

    eu queria saber o novo medicamento para cessar esta doença

    02/julho/2015 ás 19:37
  2. Aldaisa Mimary disse:

    Há alguma previsão para quando esse novo medicamento será lançado no mercado. ???
    É possível que seja ainda este ano de 2015.???
    Quem teria essa informação ????
    Grata pela atenção.

    23/setembro/2015 ás 16:25

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>