Ciência é INVESTIMENTO! Vamos transformar o Brasil em uma Nação rica e forte!

NÃO SE MATE, PORQUE SUA VIDA VALE MAIS!

NÃO SE MATE, PORQUE SUA VIDA VALE MAIS!

Edição Vol. 3, N. 16, 21 de Setembro de 2016

DOI: http://dx.doi.org/10.15729/nanocellnews.2016.09.21.004

Sentimentos de dor, desespero, inquietude, perseguição, indignação, falta de vontade de viver. Esses são alguns dos muitos sentimentos controversos que rodeiam e poluem a mente de um potencial suicida. Dor e indignação ou desilusão com um mundo abominável pela corrupção, falta de amor, falcatrua, falta de perdão, mentira, falta de consideração, perseguição, falta de posição formam um nevoeiro sob nossas cabeças e, a única saída que se consegue enxergar é a morte. 

screen-shot-2016-09-21-at-11-56-07-am

Figura 1: Estatísticas do suicídio no Brasil e no mundo.

Não há motivos exclusivos ou idade, sexo, cor, nível intelectual, social, formação ou crença. Ninguém escapa quando se torna prisioneiro de seu próprio EU, ou de sua falta de existência. Qualquer mobilização contra alguém em depressão já é um gatilho disparado em sua cabeça, uma corda em volta de seu pescoço, um doce veneno que desce queimando, um salto para a “liberdade”, a prisão infinita.

Por vezes já senti essas feridas que ardem em nosso peito e nos atordoam os pensamentos, que se tornam incongruentes e incoerentes, refratários e retardatários, sempre rodeando e voltando ao ponto de início.

Sempre uma ameaça por um burocrata, uma diretora, um chefe imediato, uma professora. Sempre uma desilusão com uma pessoa amada, uma amante, um reflexo feio, um não. Sempre uma droga que não se conseguiu dizer não, um emprego que se perdeu, um governo que mentiu. Sempre por alguém que tem um poder, mesmo que por um período definido.

Do mesmo jeito, o suicida toma para si, o seu poder momentâneo. Que por um momento decide dar o cabo de si.

 

No Brasil, a taxa de suicídio entre adolescentes com 10 a 14 anos teve um aumento de 40% na última década e um aumento de 33% entre os jovens com idades de 15 a 19 anos, como catalogado pelo Mapa da Violência de 2014. Diariamente, são 28 brasileiros que se suicidam. São 28 pessoas que não suportam mais a pressão de alguém que tem o “poder” sobre ela, e nisso se inclui o assédio moral, ou não suportam a perda de uma paixão ou a perda de seu autocontrole, por conta de drogas e outros vícios (e ainda há maníaco que acha que a droga deveria ser liberada!). Para cada suicídio com êxito _ está mais para desperdício efetivado _, ocorreram outras 10 a 20 tentativas sem esse “sucesso”. Isso dá um número assombroso e desesperador de 280 a 560 tentativas de suicídios por dia no Brasil! É um problema de saúde pública que não recebe tanta atenção por conta do tabu social. É uma epidemia que deveria ser considerada pelo governo federal, e que, agora, felizmente está. Para ajudar a combater essa epidemia silenciosa, o programa SETEMBRO AMARELO apresenta alguns bilhetes escritos por pessoas que cometeram essa fuga de si mesma, como alerta para as pessoas que as cercam notarem semelhanças e impedirem que mais desastres possam acontecer. Também apresentamos uma lista de seis alertas sobre o comportamento suicida segundo especialistas.

MENSAGENS DE SUICIDAS

De posse das declarações dos suicidas foram feitas, passo a passo, diferentes análises: análise das palavras utilizadas pelo suicidado para se referir ao suicídio, análise por categorias temáticas emergentes (atividade, metamorfose, família, religião, Estado, sentimentos, etc), análise do interlocutor (suicidado escreveu para pessoa da família, autoridades políticas ou religiosas, etc) e análise das intenções do suicidado (despedida, acusação, conforto, testamento, etc); sempre procurando privilegiar os sentimentos e a inserção social, reconhecendo que as reflexões estão limitadas pelas teorias que as orientam.

Não relataremos os nomes das vítimas. Incluiremos apenas sua idade, sexo, forma de suicídio e cor para demonstrar que isso acontece com qualquer um, sem preconceito. Também manteremos os erros de português, que nem a escolaridade, impede essa ação prisioneira de autodestruição. 

Sexo/Idade : M, 35

Cor : branca 

Meio : ingestão de veneno 

Forma da mensagem : 

Obs : veterinário

“Sei que estou tendo uma atitude um tanto egoísta depois de tanto me ajudarem o único que não consegue se ajudar sou eu, sempre levei uma vida desarranjada sem zelo e amor por aquilo que fazia, chegou um momento que não consigo tocar mais a vida passei a ser um dependente e isso agora me incomoda, me perdoem vocês foram tão bons para comigo em especial o Alberto, Worer (?) e Lui que me falaram tantas palavras de carinho. No momento me sinto incapaz de conseguir desempenhar qualquer coisa só me passa pela cabeça esta idéia de morte fixa coisa que na clínica se tornou mais sólida. Deus aprendi que ele existe, sei que segundo a crença a gente sofre por aquilo que fez de errado vou pagar por isto. Nunca soube me dar e receber afetividade sou um tapado não consigo aprender fácil as coisas.” 

Sexo/Idade : M, l5 

Cor : (descendente de orientais) 

Meio: tiro 

Forma da mensagem : bilhete feito com tinta “guache” vermelha 

Obs : suas vestes se compunham de uma jaqueta azul com as mangas cortadas, camiseta fantasia, rasgada na parte inferior, calça rasgada na altura dos joelhos, cuecas de malha e, com adornos, uma corrente com cadeado no pescoço, uma medalha e um parafuso na lapela. Os pés calçavam botinas. “Punk”

“Mãe – eu não quero ser mais uma ovelha desse sistema (me faça um favor de me enterrar como estou)”

Sexo/Idade : F, 40 

Cor : branca 

Meio : vários tiros no marido e um na própria cabeça 

Forma da mensagem: manuscrito a tinta esferográfica

“Matei porque não agüentava mais. Estou cansada e não vou deixar ele para ninguém não será meu más também não será de Claudete.

Carlos o documento está assinado na frasquera é só você passa o carro para o seu nome                   té Adeus. 

                                 Maria

            Amo vocés 

mas estou morrendo aos pouco desde o dia que encontrei aquela mulher com ele no carro.”

ALERTAS SOBRE O COMPORTAMENTO SUICIDA

1 – Frases de alarme

O tabu social que se esconde por detrás do medo de que uma pessoa querida se suicide é não acreditar no que ela diz. Há um mito de que, quando alguém comenta em suicídio só o faz por que precisa de atenção, estão querendo ou clamando a atenção para si, mas, na realidade de quem ouve elas não o pretendem exterminar com suas próprias vidas. Certamente, se alguém está dizendo isso é porque precisa de ajuda, é um grito de pedido de socorro. Algumas das frases mais comumente ditas por aqueles que não suportam mais viver nesse mundo são “não aguento mais”, “eu queria sumir” e “eu quero morrer”. Então, se você ouvir um parente ou amigo falando algo do tipo, preste atenção.

2 – Mudanças inesperadas

Mudança, qualquer que seja ela, de emprego, casa, cidade, ou qualquer outra situação é algo que sempre passa por nossas vidas, vem com o pacote de estar vivo. Porém, algumas destas mudanças podem causar traumas se não estivermos preparados para elas. Claro, quando digo preparado não significa que você deva saber exatamente qual é a mudança que ocorrerá e como você deverá se preparar antecipadamente a ela. Se soubéssemos, não teríamos problemas… mas, o amadurecimento e estar cercado por pessoas que saibam aconselhar ou ter passado por algo semelhante e terem superado é uma alternativa para que o desgaste não seja tão traumático. Uma pessoa fragilizada por uma depressão ou outro problema psíquico dificilmente terá condições de encarar uma mudança inesperada, como perder um emprego que considerava muito importante. Se tinha um hobby e o abandona, se era vaidoso e se desinteressa, são sinais de que seus comportamentos do cotidiano já não despertam mais interesse para ele e este é um momento em que a pessoa próxima se aproxima do potencial suicida para saber o que está se passando com ela. Essa é uma grande ajuda, se ela dividir seus sentimentos poderá entender que é somente uma fase e, logo, como tantas outras fases, será superada.

3 – Depressão e drogas

As estatísticas alertam: para cada suicídio, há entre 10 e 20 tentativas, ou seja, quem tentou suicídio está muito mais vulnerável. Se já houve uma tentativa de suicídio, certamente haverá uma outra. 

Segundo alerta: praticamente todas as pessoas que se suicidaram enfrentavam algum transtorno mental – sendo sua maioria a depressão. O fato de alguém estar sofrendo depressão ou algum outro transtorno significa que deve receber maior atenção pelas pessoas em sua volta. E, se a pessoa deprimida consumir álcool ou outras drogas, inclusive maconha, deve ter atenção redobrada.  Maconha e álcool são depressores do sistema nervoso central e potencializam o desejo de se matar. E ainda há alienado dizendo que se deve liberar as drogas… mais um absurdo! O maior coeficiente de suicídio se dá por transtorno de humor associado ao uso de substâncias psicoativas, mais da metade dos casos de suicídio. Depressão e consumo de álcool e drogas é responsável pelo maior número de mortes no mundo inteiro.

4 – Pode não ser só aborrescência

A taxa de suicídio entre os jovens no Brasil teve um aumento de mais de 30% na última década (Figura 1). Entretanto, o comportamento do adolescente, muitas vezes dado por atitudes esbravejadas, introvertidas ou erráticas é atribuído como sendo um problema típico da idade, porém pode ser muito mais do que isso, pode ser um sinal de pedido de socorro e, uma intenção calada de suicídio pode estar a ser libertada. Há uma falsa crença de que a depressão atinge só pessoas mais velhas, um erro crasso. Tanto adulto, idosos, jovens, como crianças e, até bebês, podem passar pela depressão. O adolescente apresenta um quadro com sintomas mais característicos que podem ser expressos por se trancar no quarto, não falar com ninguém, e isso pode ser confundido como uma característica normal da adolescência, já que não consegue se exprimir ou deixar transparecer seu sofrimento de uma maneira clara.

5 – Preto no branco

Um média de 15% das pessoas com depressão grave irão se suicidar, mas a depressão profunda ainda continua a ser a maior causa do suicídio. Por isso mesmo, é preciso estar atento quando uma pessoa de seu convívio, próxima ou não, demonstrar nenhum interesse pela vida ou pelos outros. É um estado de baixa autoestima, um desinteresse completo por todos e torna-se introspectivo, a pessoa fica voltada para si mesmo. Quando em depressão severa, a pessoa se isola dos outros e não vê motivos para continuar viva. É um alerta de urgência.

6 – Bom demais para ser verdade

Em alguns casos o paciente em depressão consegue simular ou atuar de maneira que está bem, ou que teve uma ligeira melhora, e que está apto a voltar para casa. Cuidado, essa é uma situação de alerta redobrada porque, qualquer queda, é um tiro certo na cabeça. A simulação de melhora é comum em diversos casos de suicídio, então, se uma pessoa que normalmente é deprimida parecer subitamente alegre, é importante acompanhá-la para garantir que ela não tentará o suicídio.

O que você pode fazer?

O melhor que se pode fazer é conversar com a pessoa e não deixá-la sozinha. Ao conversar, procure não falar muito, ouça mais. Se ela está deprimida é porque precisa de libertar seus sentimentos e não ser colocada contra a parede contra uma metralhadora de acusações. Se possível, acompanhe-a a um profissional de saúde e peça orientação. Outra medida é retirar acesso de ferramentas potencialmente destrutivas dentro de casa – como arma, remédios e substâncias tóxicas – para evitar o uso delas em um impulso.

screen-shot-2016-09-21-at-11-56-45-am

Print Friendly

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>