GRAVIDEZ, TRANSTORNOS DO SONO E PARTOS PREMATUROS: Qual A Relação?

GRAVIDEZ, TRANSTORNOS DO SONO E PARTOS PREMATUROS: Qual A Relação?

Patrícia de Carvalho Ribeiro, Daniel Mendes Filho, Rodrigo R Resende, Ricardo Cambraia Parreira

Edição Vol. 4, N. 17, 30 de Outubro de 2017

DOI: http://dx.doi.org/10.15729/nanocellnews.2017.10.30.006

Sono, sono meu, existe uma noite bem dormida melhor do que uma festa regada à cachaça? E se for uma noitada com os olhos vidrados em livros?

O sono é caracterizado por um conjunto complexo de fatores que permite ao corpo entrar em um estado típico de relaxamento muscular. Ele é imprescindível para manter o bom funcionamento do organismo e, sua privação, pode causar uma série de prejuízos em curto ou em longo prazo, sejam alterações psicológicas, cognitivas (alterações de memória e raciocínio, por exemplo), ou no relacionamento com as pessoas ao redor – abrir mão de uma boa noite de sono por uma boa noite de festa ou de estudos pode cobrar caro de nossa saúde.

É por isso que o sono adequado e uma quantidade satisfatória de horas dormidas é tão importante. No entanto, existem diversos pacientes que sofrem com desordens do sono, estando dentre as mais comuns a insônia e a apneia do sono. Os sintomas da insônia incluem dificuldade para começar a dormir ou manter-se neste estado, despertar precoce, sono não restaurador e fadiga e sonolência durante o dia. Já a apneia do sono engloba pausas na respiração com duração variável, enquanto o paciente dorme. 

As consequências destes transtornos incluem queda da qualidade de vida dos indivíduos acometidos. E, se na população geral já são observados vários prejuízos de uma noite mal dormida, quais as consequências observadas em grávidas com estes distúrbios?

gravidez 

Fonte: https://www.bellybelly.com.au/pregnancy/pregnancy-insomnia-tips/

Pesquisadores dos Estados Unidos investigaram associação entre as desordens do sono em grávidas e o risco de partos prematuros e publicaram seu trabalho em setembro de 2017. Neste estudo, foram investigados todos os nascimentos de bebês vivos da Califórnia, durante o período de janeiro de 2007 a dezembro de 2012. Foi observado que 30% da população diagnosticada com transtorno do sono apresentava insônia e 57% apresentava apneia; os outros transtornos encontrados eram menos comuns. 

As mulheres com distúrbios do sono apresentaram risco mais elevado de parto prematuro quando comparadas às mulheres sem distúrbios (grupo controle). O risco variou de acordo com o tipo de transtorno: as mulheres diagnosticadas com insônia apresentaram chance quase duas vezes maior de parto prematuro, antes das 34 semanas, quando comparadas às mulheres do grupo controle (ou seja, aquelas que dormiram adequadamente). Da mesma maneira, as pacientes com apneia do sono apresentaram um risco de parto prematuro mais de duas vezes maior, antes de 34 semanas e também risco aumentado de parto antes das 37 semanas, quando comparadas às mulheres do grupo controle. São considerados partos prematuros os bebês nascidos entre as idades gestacionais de 22 a 37 semanas. 

Os mecanismos envolvidos nas alterações causadas pela privação de sono e sua relação com o nascimento dos bebês prematuros ainda necessitam de melhor esclarecimento. Contudo, os dados deste trabalho são de extrema relevância para pesquisas futuras e para o estabelecimento de métodos de intervenção e tratamento destas desordens durante a gravidez. Além disso, reforça o papel do sono no controle e equilíbrio corporal, até mesmo durante a gestação.  

Por isso, mulheres, não deixem de perder uma boa noite de sono para qualquer marmanjo ou para qualquer rotina de trabalho que, com certeza, pode ser e deverá ser deixada para o próximo dia!

Tenham uma boa noite!

 gravidez-2

Fonte:https://8tracks.com/poppygarden/dream-under-the-moonlight

Por isso mesmo que Ciência é INVESTIMENTO! Apoiem esse fato que o Brasil tornar-se-á uma Nação rica e forte!

Referências

Silva GA, Giacon LAT. Síndrome das apnéias/hipopnéias obstrutivas do sono (SAHOS). Medicina (Ribeirao Preto. Online). 2006 june; 39(2):185-194. 

Adati Kubota AM, Malcher MNR, Masioli AB. Aspectos da insônia no adulto e a relação com o desempenho ocupacional. Revista de Terapia Ocupacional da Universidade de São Paulo. 2014 oct; 25(2): 119-125. 

Neves GSL, Florido  P, Giorelli  AS, Gomes  MM. Transtornos do sono: visão geral. Rev. bras. Neurol 2013 abr- jun;49(2).

Felder JN, Baer RJ, Rand L, Jelliffe-Pawlowski LL, Prather AA. Sleep Disorder Diagnosis During Pregnancy and Risk of Preterm Birth. Obstet Gynecol. 2017 Sep;130(3):573-581.

Print Friendly

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>