Ciência é INVESTIMENTO! Vamos transformar o Brasil em uma Nação rica e forte!

Gene Recém-Descoberto Pode Levar a Novos Tratamentos Contra o HIV

Gene Recém-Descoberto Pode Levar a Novos Tratamentos Contra o HIV

Emerson Alberto da Fonseca, Rodrigo R Resende

Vol. 1, N. 2, 30 de outubro de 2013
DOI: http://dx.doi.org/10.15729/nanocellnews.2013.10.30.002

Recente descoberta pode ser uma possível nova via de tratamento contra a AIDS. Um grupo de pesquisadores da King’s College London liderados por Michael H. Malim apresentou para a comunidade científica um gene humano que quando ativado pelo interferon (IFN) é capaz de inibir a replicação do vírus.

Proteína produzida pelascélulasde todos osanimais vertebrados e por alguns invertebrados, o interferon tem o papel de defender o organismo contra agentes externos como vírus, bactérias e células de tumores. Os interferons induzem um estado de resistência antiviral em células teciduais não infectadas. O vírus, ao se replicar, ativa o gene codificante do interferon. Quando a proteína interferon está completa, sai da célula e entra na corrente sanguínea, até chegar às células vizinhas que ainda não foram atacadas pelos vírus. A proteína interferon liga-se à membrana celular dessas células e ativa o gene codificante de proteínas antivirais. Estas proteínas antivirais, por sua vez, vão impedir a replicação do vírus, quando este tentar se replicar nessas células. Os IFN são produzidos na fase inicial da infecção e constituem a primeira linha de resistência a muitas viroses. Um grupo de interferons (IFNalfa e IFNbeta) é produzido por células infectadas por vírus, e um outro (IFNgama) é sintetizado por determinadas células ou linfócitos T ativados.

De uma vasta lista dos genes ativados pelo IFN e que podem inibir a replicação ou expansão viral, o trabalho do grupo de King´s College London, publicado na Nature em agosto desse ano, trata especificamente do gene MX2. No experimento, os cientistas usaram diferentes linhagens de células. Infectaram-nas com o vírus HIV e induziram a expressão do gene MX2, adicionando o IFN. Em outro grupo de células, a expressão do gene foi silenciada (inibida) com siRNA (um tipo de RNA pequeno que interfere seletivamente, como o microRNA, na produção de proteínas).

O grupo observou que quando o gene MX2 era expresso (estava presente nas células), o material genético do vírus se acumulava no núcleo da célula hospedeira infectada e não prosseguia com o ciclo viral de replicação, ou seja, a base para a capacidade do vírus se multiplicar ficava presa no núcleo da célula que foi primeiramente infectada e isso impossibilitava que ele invadisse outras células e continuasse o processo infeccioso. Ou seja, o vírus era simplesmente bloqueado dentro da célula. Nas células em que a expressão (presença) do gene MX2 havia sido bloqueada pelo siRNA, o vírus conseguia se replicar (multiplicar) e propagar, normalmente.

O gene MX2 codifica (fornece a informação para a produção de uma proteína) para uma proteína membro da superfamília das Guanosina Trifosfatase (GTPase) induzida por IFN (do inglês, IFN-inducible guanosine triphosphatase superfamily) e que regula umavariedadede funções celulares como brotamento de vesículas,fusão devesículas de transportedeorganelas, divisão ecitocinese. Mas, até então, não se sabia da capacidade antiviral desse gene MX2. Um parente próximo do gene MX2, o MX1, tem conhecida atividade antiviral, incluindo a ação contra os vírus influenza A (vírus da gripe), o da encefalite La Crosse e o da hepatite B, e o modo de ação desse gene é, também, pelo comprometimento da replicação viral, impedindo sua expansão.

Uma vez que o gene MX2 apenas impede a propagação do vírus e não a infecção da célula, esse trabalho abre uma nova possibilidade de terapia contra a AIDS. O gene é induzido por IFN, proteína inflamatória produzida por células de defesa (linfócitos) para o combate a certas infecções, como as virais.

O quebra-cabeça tem mais uma peça: já se sabe que a cascata (ou vias) de sinalização que o IFN ativa leva à expressão (presença) de MX2; agora se descobriu que o MX2 bloqueia a replicação (expansão) viral do HIV. Um importante passo foi dado, resta agora entender todo o complexo de sinalização intracelular envolvido.

Os cientistas vislumbram duas possibilidades de terapia: desenvolvimento de moléculas que mimetizem a ação do MX2, ou drogas que ativem a expressão do gene.

mx2_contra_HIV

Fonte: http://www.nature.com/nature/journal/vaop/ncurrent/full/nature12542.html

Print Friendly
  • Gene Recém-Descoberto Pode Levar a Novos Tratamentos Contra o HIV
  • 3
  1. mauricio davoli disse:

    gostaria muito de me curar

    02/junho/2014 ás 16:45
  2. Calma meu amigo. Em um momento a cura deve surgir. O que temos que fazer sempre é nos prevenir.

    abç
    Prof Rodrigo Resende

    31/julho/2014 ás 20:23
  3. Angela disse:

    Houve um monte de dúvidas sobre a cura da aids hiv, eu também duvidei, mas agora eu tenho a acreditar que o milagre que eu recebi também pode ser de grande ajuda para o mundo. Meu nome é Angela meu email é angelafreemane@gmail.com Eu vivi com esta doença mortal por mais de um ano, meu marido descobriu que nós éramos ambos HIV positivo. Nós tentamos por todos os meios para viver nossas vidas, apesar de esta coisa no nosso corpo é apenas quando tropeçavam este poderoso herbalista que ele retratou cura. No início, estávamos mais cético, mas meu marido insistiu em dar-lhe uma tentativa e pedimos para algumas de suas ervas e algumas semanas após a conclusão do processo devido a este fitoterapeuta, fomos para um teste como nós também disse, nós foram esmagados felicidade quando recebi os resultados na clínica. A taxa de vírus no corpo e caiu em algumas semanas estávamos completamente cicatrizado. Também perguntou por que ele não veio para o mundo que ele tinha a cura e ele disse que fez em 2011, mas foi rejeitado pela equipe de pesquisa internacional. A coisa mais importante é para você ser curado, se você quer saber sobre esta chamada fitoterapeuta em +2349032913215 ou e-mail: odincurahiv@gmail.com ou odincurahiv@outlook.com

    07/novembro/2014 ás 09:19

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>