Ciência é INVESTIMENTO! Vamos transformar o Brasil em uma Nação rica e forte!

EFEITO CURIOSO DO CASO BENJAMIM BUTTON: Células Microbianas Permanecem Jovens Rejuvenescendo A Cada Vez Que Se Reproduzem

EFEITO CURIOSO DO CASO BENJAMIM BUTTON: Células Microbianas Permanecem Jovens Rejuvenescendo A Cada Vez Que Se Reproduzem

Edição Avulsa Vol. 2, N. 1, 07 de Outubro de 2014

DOI: http://dx.doi.org/10.15729/nanocellnews.2014.10.07.001

Lembram-se do filme “O Curioso Caso de Benjamim Button”? Uma história que se passa em Nova Orleans, 1918. Benjamin Button (representado por Brad Pitt) nasceu de forma incomum, com a aparência e doenças de uma pessoa em torno dos oitenta anos mesmo sendo um bebê. Ao invés de envelhecer com o passar do tempo, Button rejuvenesce. Quando ainda criança ele conhece Daisy (Cate Blanchett), da mesma idade que ele, por quem se apaixona. É preciso esperar que Daisy cresça, tornando-se uma mulher, e que Benjamin rejuvenesça para que, quando tiverem idades parecidas, possam enfim se envolver.

Enquanto o envelhecimento continua a ser um fato inevitável da vida, os pesquisadores do Instituto Max Planck de Biologia Celular e Genética, liderados pelo professor Dr. Iva Tolic-Norrelykke, em Dresden, na Alemanha, descobriram uma levedura, aquele micro-organismo que faz com que a massa do pão cresça ou que produz o álcool da cerveja, que permanece sempre jovem, rejuvenescendo a cada vez que se reproduz. Os resultados fornecem perspectivas fundamentais sobre os mecanismos do envelhecimento.

Em geral, mesmo os micro-organismos que se dividem simetricamente não produzem duas metades exatamente idênticas. Investigações detalhadas revelaram que existem mecanismos que garantem que uma metade receba materiais celulares (que podem ser proteínas, membrana celular e DNA, o material genético) mais velhos, muitas vezes com defeito, enquanto a outra metade será equipada com material novo totalmente funcional. Assim, os micróbios produzem descendentes que são mais jovens que o pai _ como é o caso com os seres humanos.

A equipe de pesquisadores mostrou que, ao contrário de outras espécies, a levedura Schizosaccheromyces pombe é imune ao envelhecimento ao reproduzir em condições favoráveis ​​de crescimento. Quando a levedura é bem tratada, ela se reproduz por divisão em duas metades em que ambas herdam seu quinhão de material celular velho (1, 2). Dado que ambas as células recebem apenas metade do material velho e danificado, elas são tanto mais jovens do que antes. A levedura é rejuvenescida um pouco mais a cada vez que se reproduz (Figura 1) (2).

Slide1

Figura 1: Três gerações de células de levedura da célula-mãe (verde) através de duas filhas (vermelho) para quatro células neta. Crédito: MPI f. Molecular Cell Biology and Genetics

Uma vez submetidas a influências negativas, como produtos químicos ou calor, as células de levedura começam dividindo-se em uma célula mais jovem e uma mais velha, assim como as outras células. Enquanto as células mais velhas eventualmente morrem, sua prole sobreviveu tempo suficiente para se reproduzir, mesmo nos ambientes agressivos (2).

As conclusões destacam que a levedura S. pombe como um organismo interessante que poderia servir como um modelo de certos tipos de células que não envelhecem em seres humanos, tais como as células germinativas, as células-tronco e células cancerosas.

Essas descobertas podem ampliar o conhecimento tanto sobre como células cancerígenas podem-se manter vivas, assim como eliminá-las, como entender por que as células adultas morrem e, se não são repostas pelas células-tronco, o que levaria à morte do tecido, como poderíamos manter essas células vivas, evitando-se a morte. É o caso, por exemplo, de células neuronais e cardíacas que, com o envelhecimento morrem, e levam a demência ou fraqueza do músculo cardíaco.

Pelo jeito, estamos cada vez mais próximos da fonte da juventude (3) (veja mais em http://www.nanocell.org.br/fonte-da-juventude-sinais-de-envelhecimento-em-camundongos-sao-revertidos/). Então, mantenham-se vivos para experimentar o elixir da juventude!

 

Referências

1.            Saitoh S, Yanagida M. Does a shift to limited glucose activate checkpoint control in fission yeast? Febs Letters. 2014 Aug 1;588(15):2373-8. PubMed PMID: ISI:000339535200004. English.

2.            Coelho M, Dereli A, Haese A, Kuhn S, Malinovska L, DeSantis ME, et al. Fission yeast does not age under favorable conditions, but does so after stress. Curr Biol. 2013 Oct 7;23(19):1844-52. PubMed PMID: 24035542. Epub 2013/09/17. eng.

3.            Resende RR. FONTE DA JUVENTUDE? Sinais de envelhecimento em camundongos são revertidos. Nanocell News. 2014 01/28/2014;1(6). Epub 01/28/2014.

 

Print Friendly

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>