Ciência é INVESTIMENTO! Vamos tornar o Brasil em uma Nação rica e forte!

DÁ PARA APRENDER DORMINDO? Veja Como O Sono Pode Ser Um Bom Professor

DÁ PARA APRENDER DORMINDO? Veja Como O Sono Pode Ser Um Bom Professor

Daniel Mendes Filho, Patrícia de Carvalho Ribeiro, Rodrigo R Resende, Ricardo Cambraia Parreira

Edição Vol. 4, N. 15, 27 de Setembro de 2017

DOI: http://dx.doi.org/10.15729/nanocellnews.2017.09.27.003

Desde a Revolução Industrial no século 19 um comportamento curioso (e perigoso) tem se difundido na nossa sociedade: a desvalorização do sono. Muitas vezes vemos vantagem em trocar horas de sono por horas de trabalho ou estudo. Acredite ou não o sono é essencial para o bom funcionamento do cérebro e do organismo como um todo. 

aprender-dormindo

Durante o sono a secreção de determinados hormônios é regulada (entre eles o hormônio do crescimento (GH) e a insulina, responsável por regular os níveis de glicose no sangue), o sistema imunológico é fortalecido e ocorrem processos de consolidação da memória e regeneração tecidual. Por isso, quando você decide passar a noite estudando para uma prova (bons tempos de faculdade!) prepare-se para passar o outro dia irritado, cansado e, o pior, aumentar sua predisposição para o diabetes tipo 2, depressão, obesidade, doenças infecciosas, problemas cardiovasculares e outras desordens. 

Ainda não se convenceu? Veja o que cientistas franceses descobriram a respeito do sono (Figura 1).

 aprender-dormindo-2

Figura 1: Efeitos colaterais da falta de sono: Fonte: jrmendonca.com.br

Apesar da evidente relação entro o sono e a memória, muitos detalhes dessa ligação ainda são desconhecidos da neurociência. A pesquisa do professor Thomas Andrillion e colegas da Escola Normal Superior de Paris ajudou a esclarecer alguns pontos do aprendizado durante o sono. Para tanto, os cientistas testaram estímulos mais simples de serem aprendidos: barulhos. Nesse estudo, 20 voluntários sem histórico de insônia ou desordens neurológicas foram expostos ao longo de uma noite de sono a diferentes padrões de barulhos complexos (chamados ruídos gaussianos brancos) os quais certamente ninguém tinha ouvido falar antes – o que confirmaria a formação de um novo aprendizado. Devido à repetição desses ruídos, a exposição a eles ocorreu tanto na fase do sono REM (do inglês “Rapid Eyes Moviment”, ou movimento rápido dos olhos que é a fase do sono onde sonhamos) quanto na fase não-REM. O acompanhamento dessas fases do sono foi por meio de eletroencefalograma (EEG) (um exame que mostra os padrões das ondas cerebrais), eletromiograma (mostra o nível de tensão dos músculos) e eletro-oculograma (detecta movimentos dos olhos durante o sono) (Figura 2). 

 aprender-dormindo-3

Figura 2: Ciclo sono-vigília com os perfis de eletroencefalograma (EEG) de cada fase do ciclo. Fonte: Adaptado de: http://www.the-scientist.com, artigo “The A B Zzzzs: An overview of the human sleep cycle”)

Depois de uma boa noite de sono regada a ruídos (como será que eles conseguiram dormir?!), os voluntários fizeram um teste para tentar identificar os barulhos. Incrivelmente os ruídos emitidos durante a fase REM e o estágio leve da fase não-REM foram aprendidos! O fato de as pessoas testadas conseguirem identificar esses sons de padrões complexos ouvidos enquanto dormiam sugere que o aprendizado pode ocorrer durante o sono de forma semelhante a quando estamos acordados. Por isso, cuidado com o que ouve ou “assiste” com a televisão ou rádio ligados durante a noite e caem no sono! Principalmente, cuidado com o que as crianças ouvem durante o sono. NADA de novelas, pornografia, notícias de morte, violência! Tudo isto pode induzir a que seu filho seja no futuro! Vai ver que é por isso que a sociedade em que vivemos hoje é tão destituída de valores morais.

Esse estudo do prof. Thomas Andrillion claramente comprova que novas informações podem ser assimiladas enquanto dormimos. Entretanto, ainda não há evidências de que informações complexas (como aprender uma nova língua) possam ser registradas pelo cérebro nas nossas sonecas – aposto que você já ia programar seu smartphone para tocar as lições de inglês enquanto dorme. De qualquer modo, com a evolução das pesquisas, novos aspectos dessa forma (relaxante) de aprender serão esclarecidas – o que pode levar a uma revolução inimaginável nos métodos de aprendizado. Quem sabe um dia ninguém mais precisará passar a noite estudando para um prova? Basta dormir. 

Eis mais um exemplo do quanto a ciência trabalha em favor da melhoria de nossas vidas através de um entendimento mais profundo da fisiologia humana. Por isso, causa perplexidade ver o quanto a ciência e os cientistas são desvalorizados no Brasil. Vamos incentivar nossos cientistas e transformar a realidade brasileira! 

Invista em ciência, invista em tecnologia, invista no Instituto Nanocell!

Referências

Gilberto Lima Junqueira. Passeando Pela Neurologia: Orientação para leigos. Ribeirão Preto, SP: FUNPEC-Editora, 2013.

Thomas Andrillon; Daniel Pressnitzer; Damien Léger; Sid Kouider. Formation and suppression of acoustic memories during human sleep. Nature Communications, doi:10.1038/s41467-017-00071, 2017.

Print Friendly

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>