Ciência é INVESTIMENTO! Vamos tornar o Brasil em uma Nação rica e forte!

COMPULSÃO ALIMENTAR: Por Que Comemos Desesperadamente?

COMPULSÃO ALIMENTAR: Por Que Comemos Desesperadamente?

Edição Vol. 4, N. 10, 05 de Junho de 2017

DOI: http://dx.doi.org/10.15729/nanocellnews.2017.06.05.004

De repente, surge aquela vontade alvoroçada de comer tudo quanto é guloseima que surge a sua frente. Mas, antes de surgir a nossa frente, ela se forma em nossa mente! A compulsão por doces, frituras e relacionados tem uma explicação que beira o simples, mas nunca antes observada. Vamos lá!

Uma pesquisa da Universidade de Yale, liderada pelos professores Dr Anthony van den Pol e Dr Xiaobing Zhang, do Departamento de Neurocirurgia, mostra que a ativação de neurônios em uma área do cérebro não associada anteriormente à alimentação pode produzir comportamento compulsivo em camundongos (1).

Quando ativados por sondas de luz, os neurônios GABA em uma área do cérebro chamada zona incerta induzem camundongos a retornar repetidamente para se alimentarem (1) (Figura 1). 

compulsao-alimentar 

Figura 1: O hipotálamo é o principal centro integrador das atividades dos órgãos viscerais (intestinos, estômago, fígado, pâncreas, etc), sendo um dos principais responsáveis pela homeostase corporal, ou manutenção do controle normal do corpo. Ele faz ligação entre o sistema nervoso (o cérebro) e o sistema endócrino (os hormônios), atuando na ativação de diversas glândulas endócrinas. É o hipotálamo que:

  • controla a temperatura corporal,
  • regula o apetite
  • regula o balanço de água no corpo,
  • regula o sono
  • e está envolvido na emoção e no comportamento sexual.

Aceita-se que o hipotálamo desempenha, ainda, um papel nas emoções. Especificamente, as partes laterais parecem envolvidas com o prazer e a raiva, enquanto que a porção mediana do hipotálamo parece mais ligada à aversão, ao desprazer e à tendência ao riso (gargalhada) incontrolável.

De um modo geral, contudo, a participação do hipotálamo é menor na gênese (“criação”) do que na expressão (manifestações sintomáticas) dos estados emocionais.

O QUE É A COMPULSÃO ALIMENTAR?

A compulsão alimentar faz com que a pessoa sinta a necessidade de comer mesmo quando não tem fome, perdendo totalmente o controle da quantidade do que está comendo e das vezes que repete o ato, embora no momento sinta prazer, após o episódio sente-se frustrado por não ter conseguido o autocontrole.

A compulsão é uma forma do paciente fugir da realidade. O prazer é tão significativo que não há espaço para a realidade, no entanto como a vida não pode ser prazer 100%, quando o indivíduo retorna à realidade o sofrimento é muito maior.

Os sintomas da compulsão são comer em excesso, além do que realmente sacia a fome e também comer quando não está com fome. Os excessos trazem tristeza ou arrependimento após comer demasiadamente. É importante ressaltar que, embora a pessoa em alguns momentos esteja consciente de suas atitudes, as motivações são de fatores inconscientes.

O que foi mais notável foi a rapidez com que os camundongos começaram a comer. Embora muitas regiões cerebrais contribuam para a regulação do equilíbrio energético e da ingestão de alimentos, não se tem conhecimento de nenhuma outra parte do cérebro que possa ser estimulada e gerar vontade de comer dentro de dois a três segundos (1).

Os camundongos ganharam peso corporal considerável se a zona incerta fosse estimulada, mas retornaram ao peso normal na ausência de estimulação (1).

O paralelo com a compulsão humana é interessante. Os camundongos preferem o equivalente animal a batatas fritas, doces ou bolo (Figura 2).

 compulsao-alimentar-2

Figura 2: Compulsão alimentar e ganho de peso estão dirigidos pela ativação de neurônios GABA na Zona Incerta. A ativação desses neurônios faz com que comamos guloseimas de maneira insaciável e nos engorde. Sua desativação, porém, faz com que emagreçamos e comamos frutas e verduras.

Os camundongos pareciam curtir o estímulo, ficando na parte da câmara onde os neurônios da zona incerta haviam sido ativados, mesmo quando os pesquisadores não estimularam ativamente a região.

A pesquisa centrou-se principalmente no hipotálamo medial e lateral como centros de alimentação e ignorou amplamente a zona incerta. No entanto, alguns pacientes que sofrem estimulação cerebral profunda para o tratamento de distúrbios do movimento mostram maior interesse em comer, talvez devido à estimulação da zona incerta próxima.

compulsao-alimentar-3 

Fonte: Bill Hathaway, Universidade de Yale

Referência

1.Zhang X, van den Pol AN. Rapid binge-like eating and body weight gain driven by zona incerta GABA neuron activation. Science. 2017;356(6340):853-9.

Print Friendly

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>