Ciência é INVESTIMENTO! Vamos tornar o Brasil em uma Nação rica e forte!

AVANÇOS PARA UMA FUTURA VACINA CONTRA O HIV: sucesso em macacos

AVANÇOS PARA UMA FUTURA VACINA CONTRA O HIV: sucesso em macacos

Rebecca Vasconcellos Botelho de Medeiros, Rodrigo R Resende

Vol. 1, N. 3, 21 de novembro de 2013
DOI: http://dx.doi.org/10.15729/nanocellnews.2013.11.21.004

Causador da aids (Síndrome da Imunodeficiência Adquirida), o Vírus da Imunodeficiência Humana (HIV) possui uma alta taxa de mutação (modifica-se frequentemente). Isso faz com que exista uma grande diversidade global de vírus do HIV e, consequentemente, uma enorme dificuldade de se desenvolver vacina para tal vírus.

Pesquisadores do Centro Médico Beth Israel Deaconess, em Boston, nos Estados Unidos, avaliaram a capacidade de proteção de uma vacina que foi produzida com uma diversidade de moléculas do vírus HIV-1 (mosaico antigênico) capazes de iniciar uma resposta imune contra um vírus equivalente ao HIV humano (o vírus da imunodeficiência símia, SIV), que infecta o macaco Rhesus. Esses são os primatas mais extensivamente estudados e usados em experiências laboratoriais. O fator RH do sangue foi demonstrado primeiramente em Rhesus.

O vírus do HIV é envolto por um envelope viral onde estão incorporadas proteínas. Três genes contêm informações necessárias para produzir proteínas estruturais desse vírus. São eles os gag (genes gag, do inglês, group specific antigen, antígeno grupo específico, codificam a matriz viral (MA), o capsídeo (CA, envoltório do vírus) e as nucleoproteínas (NC, proteínas do núcleo viral)), o gene pol (é a enzima que duplica o material genético do vírus) e o gene env (codifica o envelope do vírus) (Figura 1). Este estudo avaliou principalmente a capacidade das proteínas formadas por env em bloquear a aquisição da infecção.

 vacina hiv

Figura 1: Genes que contêm informações necessárias para produzir proteínas estruturais desse vírus. São eles os gag (os genes gag, do inglês, group specific antigen, antígeno grupo específico, codificam a matriz viral (MA), o capsídeo (CA, envoltório do vírus) e as nucleoproteínas (NC, proteínas do núcleo viral)), o gene pol (é a enzima que duplica o material genético do vírus) e o gene env (codifica o envelope do vírus) (modificado de http://www.stanford.edu/group/nolan/tutorials/ret_6_gpedesc.html).

Os pesquisadores verificaram que, embora a maioria dos animais vacinados fosse infectada, ouve uma redução de aproximadamente 90% na probabilidade de infecção. Este efeito protetor foi, provavelmente, mediado pelo mosaico imunogênico de env, pois se observou um aumento em células de defesa (linfócitos T CD4) específicas para a proteína em questão, ou seja, os linfócitos produzidos atacavam especificamente as proteínas do envelope viral.

Com esse estudo, verificou-se que mosaicos antigênicos representam uma boa estratégia para melhorar a resposta imunológica humoral (produção de anticorpos pelos linfócitos B ou monócitos maduros) e celular (produção de linfócitos T), já que demonstraram ser eficientes na proteção em animais vivos (in vivo), induzindo respostas imunitárias, ou de proteção. Sendo assim, esses antígenos sintéticos tornam-se promissores para o desenvolvimento de vacinas contra a diversidade de HIV-1, e serão, possivelmente, vacinas que protegerão o ser humano contra esse vírus que é facilmente transmissível e que, ainda, não tem cura . Então, previna-se!

Para evitar a transmissão da aids, recomenda-se o uso de preservativo durante as relações sexuais, a utilização de seringas e agulhas descartáveis e o uso de luvas para manipular feridas e líquidos corporais, bem como testar previamente sangue e hemoderivados para transfusão. Além disso, as mães infectadas pelo vírus (HIV-positivas) devem usar antirretrovirais durante a gestação, para prevenir a transmissão vertical, e evitar amamentar seus filhos.

1. Hansen SG, Piatak M, Jr., Ventura AB, Hughes CM, Gilbride RM, Ford JC, et al. Immune clearance of highly pathogenic SIV infection. Nature. 2013 Oct 3;502(7469):100-4. PubMed PMID: 24025770. Epub 2013/09/13. eng.

 

Print Friendly
  • AVANÇOS PARA UMA FUTURA VACINA CONTRA O HIV: sucesso em macacos
  • 2
  1. JESSICA disse:

    GOSTARIA DE SABER SE UMA PESSOA QUE FOI DETCTADO O HIV-1 FAZ UM MES,QUANDO A VACINA FOR LIBERADA ESSA PESSOA VAI PODER SE VACINAR?E QUAL SERIA O RESULTADO ?

    21/fevereiro/2014 ás 16:20
  2. Rodrigo Resende disse:

    A princípio, quando já está infectado uma vacina não ajudaria muito, porém, se estiver no estágio inicial há POSSIBILIDADES, não temos certeza, que ajudaria ao sistema imune do infectado reagir.
    Prof Rodrigo

    17/março/2014 ás 13:41

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>